domingo, 5 de junho de 2011

Você faria horas extras sem remuneração que nem japonês??


  Aos caros leitores

  Vocês conhecem “Saabisu Zangyou (Horas extras sem remuneração)”?

  É um costume japonês que as empresas praticam aos seus funcinonários.


  Mesmo que os trabalhadores japoneses trabalhem mais do que 8 horas por dia, eles não recebem o valor correspondente por horas extras que eles tinham trabalhado.

Vocês, brasileiros, aceitariam este tipo de costume no ambiente de trabalho?

De jeito nenhum,ne?

Segundo um conhecido brasileiro, neste caso, normalmente as empresas brasileiras colocariam estas horas extras no banco de horas de trabalho e dariam-lhe um dia de folga quando acumular horas, com o objetivo de a empresa não pagar mais salário para o funcionário.

Eu acho fantástica, pois é bom para os dois lados: empregador e empregado.

Eu não entendo porque as empresas japonesas não adotam este método.

Então, porque os trabalhadores japoneses acabam aceitando “Saabisu Zangyou ”?

Acho que é por causa do ponto de vista totalmente diferente do brasileiro a respeito de trabalho, que foi baseado na cultura e educação. 

Normalmente nós, os japoneses, trabalhamos duros para que as empresas consigam crescer, pois nós acreditamos que em troca dos nossos sacrifícios as empresas nos empregariam até que nós aposentarmos, o que está se tornando uma mera ilusão hoje em dia devido à globalização.

Não podemos dizer que nós não temos próprias vontades de promover dentro da empresa.Com certeza, nós queremos a promoção e o salário mais alto, sim. Porém, acho que os japoneses são muito mais fiéis às empresas como samurais eram fieis ao general (syogun) ou ao Tennou (imperador).

Por isso mesmo, acabamos aceitando estas horas extras sem remuneração para que demonstrarmos nossas fidelidades aos superiores, mesmo sabendo que a prática da Saabisu Zangyou são abusos contra lei trabalhista.......

Vou lhes contar um exemplo meu.

Há 15 anos eu trabalhava numa empresa de software lá no Japão. Nesta empresa, os funcionários recebiam um formulário a respeito de horas de trabalho todos os meses, no qual precisava registrar o número de horas que poderia ser colocado e registrar horas que trabalhou realmente ao lado da coluna, as ambas informações com lápis.

O que quer dizer com isso?

A empresa informava ao cada funcionário sobre o número máximo de horas de trabalho que poderia ser colocado no formulário. Isso quer dizer que mesmo que um funcionário fizesse horas extras mais do que o permitido, o funcionário receberia o mesmo salário.....nada mais nada menos do que o prometido.

Há diferença de ponto de vista em relação ao trabalho entre japonês e brasileiro.

Os brasileiros acham que quem não consegue terminar o trabalho no dia é considerado como funcionário que não tem capacidade necessário, enquanto os japoneses acham que quem vai sair da empresa no horário determinado é considerado como funcionário que não tem vontade de trabalhar na empresa.

É ponto de vista totalmente contrário.

Há outra razão, pela qual empregador brasileiro não pode impor “Saabisu Zangyou ” para funcionários brasileiros.Aqui no Brasil, os direitos dos trabalhadores são bastante protegidos pela legislação brasileiras.Qualquer irregularidade que tiver no trabalho, os trabalhadores acusam empregador judicialmente. Parece até que eles estão aproveitando a situação além de proteger seus direitos.

A diferença de salário entre empregador e empregado é muito grande, diferente da situação no Japão. De repente, é por causa disso que os brasileiros gostam de levar o caso no tribunal de justiça.

Em conseqüência disso, acumulam inúmeros processos, nos quais podem demorar anos para resolvê-los......

Não me levem mal!! 

Infelzimente isso me dá impressão de que têm tendência de valorizar mais direito do que obrigação.

Eu não estou defendendo o mau costume de empresa japonesa sobre “Saabisu Zangyou ” de jeito nenhum.

Porém, ao mesmo tempo,eu nem estou gostando de uma parte da sociedade brasileira onde há processos judiciais em excesso.

Eu sempre procuro o meio termo e uma socieade mais equilibrada. Não pode ser tão rigoroso nem tolerante.

Os brasileiros precisariam aprender coisas boas dos japoneses.E os japoneses também precisariam aprender coisas boas dos brasileiros.

;)

Comentários
14 Comentários

14 comentários:

SubHeaven disse...

Olá. Muito bom o seu blog e adoraria saber mais sobre as diferenças entre o comportamento no Brasil e no Japão. Essa relação entre funcionario versus patrão no Brasil é histórica. Desde o descobrimento e colonização do Brasil, o empregado sempre foi visto como um escravo onde os gastos com ele deve ser o mínimo possível. Com a legislação, os empregados começaram a processar seus empregadores, pois esses não se importam pelos empregados.
Eu sinto muito com o fato dos empregadores japoneses estarem se tornando como os empregadores ocidentais, com certeza essa dedicação dos empregados será destruído logo na próxima geração (Pois a atual já se acostumou a trabalhar assim).

Diana disse...

O que acontece é que o empregador não se importa com o empregado brasileiro. Se fica doente, logo é mandado embora e substituido. É uma rotatividade tremenda, então se o empregador não tem consideração pelo empregado, porque deveria ser o contrário?! Essa é a lógica que leva os brasileiros á tantos processos. Na empresa onde eu trabalhava muitos entraram na justiça devido as horas de trabalho - eram pelo menos 15 horas de trabalho por dia! Em posições desconfortáveis (em pé, de joelhos, agachado, ou curvado) mal podiamos sair para beber agua e ir ao banheiro e muitas pessoas ficavam doentes. Eu mesma fiquei doente (fiquei com alergia á poeira e tqualqer contato com poeira me causa conjutivite alergica, rinite e a sinusite piora, até um calázio eu tive que operar). Esperei o contrato acabar e não renovei, estava acabando com minha saúde.
Meu marido que trabalha no Japão, nunca fez hora extra sem remuneração.
A relação patrão/empregado é bem diferente nos dois países, assim como a cultura e toda sua história.

http://httposso.blogspot.com

yukipoa disse...

Obrigado pelos comentários.
Entendi.Como a história do Brasil começou com escravidão,os empregados estão bastante protegidos pela legislação,ne?
Eu não prestava atenção para este fato histórico.
Ao longo da história do Japão, nunca tivemos escravidão.
Sim,agricultores trabalhavam como se fosse escravo.Porém, nunca fomos escravos.
Cada pais tem sua história diferente...
;)

Anônimo disse...

Eu acredito que empregado brasileiro também é bastante mal educado. Comportam-se como se o trabalho que estão fazendo é um favor ao empregador e ao cliente. Então ele pode destratar clientes e reclamar o tempo todo. O trabalhador japonês tem mais consciencia que o trabalho é um serviço, remunerado. Não um favor que você ainda cobra dinheiro no final.

Anônimo disse...

O Brasil é a terra dos oportunistas, conseguir mais por menos, essa é nossa cultura, que lá no fundo bem no fundo mesmo até faz sentindo....qual a razão de trabalhar 3 ou 4 horas a mais sem ganhar para empresa crescer? e se a qualquer momento houver uma quebra contratual e metade dos trablhadores irem para rua...e ai....e essas 3 ou 4 horas a mais..não poderiam ser empregadas de uma forma melhor..como descansar ou passar mais tempo com a familia? para sobreviver e necessario trabalhar arduamente...para viver é necessario uma nova postura...a vida é curta, passar metade dela dedicando sua vida a enriquecer seu superior é desperdicio.

yukipoa disse...

Obrigado pelos comentários.
No final,as pessoas devem receber os valores que eles merecerem em relação ao serviços prestados.
No entanto, como o mundo não é justo, não funciona como deveria.
:(

Luís Victor disse...

Essa história de horas extras no Japão começou por causa da segunda guerra mundial, depois que os Estados Unidos jogaram as bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki.
O Japão estava arrasado, então o governo pediu para os cidadãos japoneses trabalharem algumas horas extras a mais, mesmo sem remuneração por isso, para ajudar a reconstituir o Japão, e esse costume continua até hoje.

Anônimo disse...

Já fiz muita hora extra sem receber aqui no Brasil. E estou a 5 anos na empresa, e nem penso em ir na justiça. Quando a empresa valoriza o funcionário, ele faz isso sem problemas. O problema é que a empresa valorizar alguém aqui no Brasil é raro.

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.
Que bom!
É caso feliz,ne?
Quando a gente se sente valorizado pela empresa, as pessoas fazem coisas sem pensar em recontribuição.
Espero isso para todas as pessoas,inclusive eu.
;)

Anônimo disse...

simples quanto ganha um brasileiro para fazer o mesmo serviço do japones ?? vcs sabem é o dobro se nao o triplo do brasileiro por isso que eles fasem isso ja o brasileiro é explorado em tudo ...

Antonio disse...

Essa prática de horas extras sem remuneração é usual em alguns ambientes de trabalho no brasil como por exemplo os escritórios de direito. É muito comum o estagiário ou o advogado júnior trabalhar mais do que as 8 horas por dia sem receber a hora extra. É possível sim abrir um processo judicial, mas isso lesaria o funcionario pelo motivo que ele ficaria "marcado" pelos escritórios de advocacia que se comunicam entre si, e uma briga na justiça com um escritório dificiltaria e muito qualquer novo contrato de trabalho como advogado. A justiça trabalhista acaba assim protegendo apenas operários, comerciários e pequenos funcionarios.

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.
Eu entendo a situação completamente.
É um fato real baseado na própria experiência do leitor no trabalho, o que vale muito neste assunto.
;)

Anônimo disse...

Priorizando direitos à obrigações? Obrigação = trabalhar x horas contratadas legalmente
Direito= receber por x horas trabalhadas que foram contratadas legalmente
Algo mais?

Anônimo disse...

infelizmente muitos tem razão mas a verdade é um só nos estamos trabalhando aqui no japão porque o nosso governo não condições de trabalho honesto salario digno de se viver ai temos que sair do nosso pais e vim para um pais estranho que a cultura e totalmente diferente da nossa e tem muitos brasileiros que vem para o japão ficão falando mal do japão mas não tem um palmo de terra para ser enterrado no brasil ..eu não queria estar aqui no japão mas tem tanta restrições para nos trabalharmos no brasil que eu decidi que era a unico jeito de trabalhar e ter uma vida digna de ser viver no brasil hoje tem cinco casa e 300 mil reais no banco graça ao japão...e sobre a horas extras de graça nem a pau ..viemos aqui para ganhar não para trabalhar de graça para trabarlhar de graça eu ficava no brasil ...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics