terça-feira, 28 de junho de 2011

Você admira a educação no Japão mesmo sabendo a realidade !??


  Aos caros leitores

  Antes de mais nada, vou lhes mostrar quanto custa em média para você se formar na universidade no Japão.


Universidade pública
Universidade particular
Humanas
(4 anos)
54,000 reais
88,800 reais
Exatas
(4 anos)
54,000 reais
128,000 reais
Medicina
(6 anos)
81,000 reais
400,000 reais


  Sim. Diferente do ensino no Brasil, os japoneses pagam mensalidades mesmo entrando na universidade pública.

Vocês acharam caro? Ou ficaram indignados com a cobrança de mensalidade pela universidade pública por acaso?

Pois é. O custo total para se formar na universidade é muito mais alto comparando com o custo total de mensalidades pagos no colégio.

Aliás, sob a economia ruim nos últimos anos no Japão,o governo japonês decidiu não cobrar mensalidades dos alunos que frequentam colégios públicos com a inteção de ajudar as famílias carentes e este lei entrou em vigor a partir de ano letivo 2011.

Nessa altura, as diferenças dos custos totais entre universidade e colégio ficaram ainda maior.

Que seja, os pais japoneses precisam guardar dinheiro ao longo prazo. Senão, não têm como deixar seus filhos entrarem na universidade mesmo que eles estejam prontos para seguirem seus estudos.

Na verdade,como está diminuindo o número de jovens por causa da taxa de fecundidade baixa (1.39 em 2010), qualquer pessoa que queira  entrar na universidade pode se ingressar na universidade hoje em dia.....

Ou seja, o que está em questão na hora de ingressar na universidade não é mais a condição intelecutual do aluno mas a condição financeira dos pais....o que eu acho absurdo..

Por isso mesmo, até há um tipo de conta especial, destinado para cobrir as despesas do filho na universidade no futuro, em vários bancos japoneses.

Como vocês notaram na tabela acima, há diferença bastante significativa entre o custo total na universidade pública e universidade particular. Caso compare ao custo total de curso de medicina, a diferença é radicalíssimo. Aliás, uma família de classe média nem tem como bancar o custo tão elevado do curso de medicina na universidade particular.

Portanto, os pais japoneses que se importam muito com o futuro do seu filho costumam cobrar bom desempenho do seu filho na escola desde o primrio ano no ensino fundamental.

Como vocês sabem, o turno integral é implantado no ensino no Japão. Isso quer dizer que as crianças estudam na escola mais ou menos das 8:30 até ás 15:30.

No entanto, os pais que queriam colocar seu filho no curso de medicina na universidade pública, a fim de economizar a despesa, mandam seus filhos assistirem aula numa outra escola particular chamado de Jyuku, depois de terminar a escola normal. Ou seja, os filhos são obrigados a estudar 2,3 horas a mais nesse Jyuku, além de 5 horas de estudo na escola normal.

   Parece um castigo,ne ?

Se quiserem estudar numa escola secundária e particular, na qual tem bastante formados que entraram na melhor universidade do Japão (Todai), precisarão frequentar este tipo de escola privada Jyuku desde 9,10 anos de idade para ficarem bem preparados para prestarem "vestibular" destas escolas aos 12 anos.

A mídia japonesa denominou esta locura de "Jyuken Sensou", Guerra de Vestibular ao pé da letra. 

   Sim, pode-se dizer que é uma guerra e tanto.

Sem dúvida,a educação é melhor meio para a gente se promover na sociedade. Por isso, investir na educação do filho é uma atitude lógica e indispensável dos pais japoneses.

No entanto, as crianças japonesas sofrem muito por ser cobrado tanto pelos próprios pais quanto pela sociedade em geral. Na minha opinião, o valor real de uma criança não pode ser avaliado só pelas notas boas nas materias na escola. Porque as crianças podem ter outros talentos não revelados na escola e os pais precisam estar atentos a isso e valorizá-los.

Eu já me encotrei com muitos brasileiros adimirando a excelente educação no Japão. Como um japonês, eu fico feliz em ouvir esse elogio. Porém, eu até posso interpretar isso como uma ironia, apesar de saber que isso não foi a intenção do brasileiro.

Sabendo da realidade, vocês ainda admirariam a educação no Japão? Eu não estou dizendo que estou valorizando a educação no Brasil. Mas, eu jamais poderia me orgulhar da educação do meu pais, principalmente os pontos que eu lhes expliquei neste post.

  Queria estudar tanto que nem louco desde criança? Vocês aguentariam muita cobranças?

Como tem tanta cobranças entre as pessoas tanto na vida escolar quanto na vida profissional, muitas pessoas se suicidam lá como eu já tratei neste blog. Queriam viver num país assim, mesmo que a educação do povo é alta?

Eu estudava no melhor colégio da região, no qual muitos alunos conseguiam entrar na melhor universidade do Japão ( Todai ). Um amigo meu que consegiu ingressar em Todai estudava por 5,6 horas em casa diariamente e 12,13 horas no fim de semana...

Vocês estudariam tudo isso?

Pessoalmente eu não sei se vale a pena, pois a vida feliz é composta de várias fatores. Não é só trabalho que determina o valor da nossa vida. E precisamos aprender a estudar por querer...não pela obrigação.

;)

Comentários
20 Comentários

20 comentários:

Diana disse...

Eu iria adorar! Uma das coisas que eu mais gosto é estudar e desde criança a cobrança foi bem grande pois minha mae trabalhava para pagar meus estudos...e trabalhava fazendo faxina! Logo que papai morreu, a cobrança aumentou e ela depositou as esperanças em mim para eu ir para uma boa universidade. Eu estudava, minha diversão era estudar. Já no primeiro mês de ensino letivo, eu já havia terminado os exercícios dos livros didaticos e os professores me davam disafios e questões de universidade para resolver. Até ganhei aula particular de graça dos meus professores para concurso. Agora que não estou estudando naquele ritmo, sinto até falta! Hoje já sou formada na universidade e pretendo fazer outra.

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.
Que bom que gosta de estudar,ne?
Eu não gosto de estudar.
Gosto mais de aprender do que estudar.
Queria ter mais conhecimentos em várias áreas em vez de me especializar em uma área determinada.
;)

Sandro /rs disse...

Olá Yuki.
Realmente esta é uma questão muito interessante a ser refletida.
Se o sistema educacional Japonês é extremamente exigente, por outro lado, este pode ser um aspecto importante para manter a disciplina e a valorização das escolas e dos estudos. Certamente a maioria das pessoas valoriza aquilo que lhe custa dinheiro, ou seja, não é possível se dar ao luxo de reprovar em uma escola particular ou paga. Já fui professor e não quero ser injusto com diversos alunos da rede pública brasileira que levam os estudos a sério e respeitam as regras, patrimônio e os professores das Escolas. Acho que um pouco mais de cobrança, estrutura pedagógica educacional, investimento e seriedade fariam bem ao sistema educacional brasileiro.
Infelizmente, no caso nipônico, esta estrutura disciplinar acaba acarretando uma série de fenômenos psicológicos, que produzem efeitos como o isolamento social 引き篭り, ou a um alto índice de suicídios.
Certamente as diferenças culturais são imensas, mas creio que podemos analisar e refletir sobre os modelos educacionais de outros países de forma a adequar e a evoluir o nosso próprio sistema.

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.Sandro!
Cada pais tem seus aspectos positivos e os negativos.
Não existe paraiso.
Precisamos trabalhar para melhorar dentro da realidade de cada pais.
;)

Liziane Zimmer disse...

Olá Yuki!

Eu concordo com você em alguns pontos acho a escola japonesa exigente demais com seus alunos, mas eu adimiro algumas coisas, como por exemplo a discipina dentro da escola. Pelo que eu vi os alunos jaoneses respeitam muito mais os seus profesores e levam os estudos muito mais a sério do que no Brasil.
O cuidado com seus alunos também é interessante, por exemplo, os professores fazem patrulhas para verificar se não tem nenhum aluno da escola à noite em lugares proibidos. É verdade que os professores tutores das turmas são responsailizados se eles fazm algo de errado fora do horário de aula?
Mas a cobrança excessiva é realmente um problema, mas eu gostaria que as escolas brasileiras fossem mais parecidas com as japonesas em relação ao cuidado com seus alunos e o respeito com os professores. Aliás, soube que os professores japoneses são bem remunerados e a profissão é muito respeitada. É verdade?

yukipoa disse...

Oi,Liziane!
Obrigado pelo comentário.
Na verdade, eu não sei bem o salário do professor daqui e como os professores são tratados aqui.
Por isso,não sei te dizer.
Mas, todos os professores falam isso,
Talvez precise tratar disso neste blog.
;)

Onyas Claudio disse...

Parabéns por este post. Educação é um assunto que deve ser discutido sempre, principalmente no Brasil.

Acho que quando as pessoas elogiam o sistema educacional do Japão, elas relevam a forma em que é feita e analisam mais a qualidade do resultado. O grande problema do Brasil é que as questões mudaram. Tempos atrás o nosso problema era o analfabetismo e o simples acesso à escola. Melhoramos muito neste sentido e agora a nossa atenção deve ser voltada para a qualidade do ensino. Isso passa por diversas questões, sendo que a mais importante no momento seria a melhor especialização e remuneração dos professores. Ou seja, a valorização da profissão.

Um detalhe da sua dissertação é que ela destacou mais a parte do ensino superior. Investir em educação é primordial para o crescimento de um país. Vide os exemplos de Chile e Coréia do Sul. Entretanto, estes países investiram mais em educação básica: a meu ver, o grande defeito do sistema educacional brasileiro, que mede esforços sempre na parte de cima, favorecendo, assim, a camada mais abastada da sociedade. Ter uma educação báscia eficiente, forte, equalitária, integrada e padronizada. Neste ponto - não sei e você pode me ajudar - acho que o Japão pode servir de exemplo, pois o ensino de qualidade está acessível a todas as camadas da população. A desigualdade social diminui, pois depende exclusivamente do empenho do aluno. Imagino que assim que deveria ser. O aluno pobre, ter acesso às mesmas condições de estudo de um aluno rico, pelo menos na educação básica. Os resultados viriam do mérito. Utopias...

É sempre bom discutir esses assuntos e conhecer exemplos - bons ou ruins - de outros países. A Finlândia também é sempre citada como exemplo de sistema educacional que funciona. E também é outro país com nível alto de suicídio. Bom, mas lá neva o ano inteiro também, hehe, meio deprimente. O que eu quero dizer é que acho que este é o momento do Brasil investir pesadamente numa reforma da educação, e achar um modelo que não seja tão pesado quanto o japonês, mas que tenha sua qualidade, e ajude na ascenção social dos menos favorecidos. Infelizmente, não vejo nenhuma movimentação no Brasil em torno disso. Uma pena...

Renato Miranda Filho disse...

No Brasil os professores do fundamental, depois de 4 anos na faculdade, quando contratados, recebem cerca de R$800,00... R$900,00 reais,. Ínfimo, não? Os alunos, tanto da rede pública, quanto particular, levam para a escola Drogas, Armas, Baralhos, Camisinhas, Notebooks, Revistas Adultas, etc.

A progressão continuada não possibilita a exigência para que o estudante se dedique. Os professores ganham bônus por aluno aprovado, diretores criticam educadores que repreendem, mesmo verbalmente, alunos, para que não haja confusão com os pais. Tudo errado. Grande parte de cada turma formada no ensino médio sai sem saber escrever uma dissertação.

A educação no Japão, como um japonês dizendo, pode ser rígida demais, exigente demais, severa demais, mas tem muito, MUITO menos a melhorar do que o ensino brasileiro, onde tudo gera lucro a alguém, individualizado.

Tiago Dadazio disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Otto disse...

Meu comentário não tem a ver com o post, mas gostaria de dizer que foi muito curioso ter encontrado seu blog.

Por um acaso vi um post seu num desses agregadores de notícia e sai lendo, daí que li praticamente todos os posts sem pausa. hahahahaha

Sim, eu sou curioso sobre a vida no Japão e desejo um dia visitar lá.

Eu trabalho com redes sociais numa empresa de games, chamada JP Games (Sim, de Japão Games!) e meu chefe fala que lá é bem diferente, acentuando meu interesse.

Tem um vlog legal sobre isso também, não sei se você conhece, ele se chama Aqui Pode ( http://www.youtube.com/aquipode ). Ele fala de um brasileiro chamado Hiro que mora lá no Japão.

E se gostar de games e quiser visitar meu blog, o endereço é jpgames.com.br/blog

Até mais!

yukipoa disse...

Obrigado pelos comentários.
Como eu não estudei na escola pública daqui do Brasil, não sei como é a realidade da educação no Brasil.
Acredito que o que todos os brasileiros reclamam deve ter toda razão.
O que eu queria dizer com o post foi informar o fato de que a educação no Japão está bem longe do ideal.
Há muitos problemas a ser corrigidos.
;)

Marcos Juliano disse...

Tenho 2 filhos que estudam no sistema japonês. Uma menina de 9 anos e um menino de 5.Estou muito feliz com os resultados. Como a melhor coisa que podemos deixar para nossos filhos é a educação, só tenho a elogiar a escola japonesa. Com a relação aos custos, concordo que a universidade é muito cara. Para isso existe as linhas de crédito. Não se ouve falar que existem greves no sistema de ensino, mesmo os salários não serem muito altos. Existe um repeito muito grande entre professores e alunos,o que garante uma qualidade melhor do ensino. Muito obrigado. Marcos.

Mahiro disse...

Muito bom o post Yuki, ainda mais pra mim que pretendo fazer mestrado ou doutorado lá. As coisas são difíceis mas não se fazem difíceis e já que esse é o único caminho, vamo lá então. Eu também prefiro aprender, mas se para alcançar objetivos e atingir metas for preciso ter os estudos como obrigação, eu não me importo. Tô vendo que vou ter de acumular dinheiro para 3~4 carros populares aqui no Brasil pra estudar lá no Japão XD.

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.
Não é necessário guardar dinheiro para ir ao Japão.
Pode ir lá para fazer mestrado lá recebendo bolsa.
;)

Fernando A. Castor Rodrigues disse...

Prezado yukipoa,

Eu que agraço demais pelo seu comentário ao responder a leitora Diana:

"Que bom que gosta de estudar,ne?
Eu não gosto de estudar. Gosto mais de aprender do que estudar. Queria ter mais conhecimentos em várias áreas em vez de me especializar em uma área determinada."

Acho que eu nunca li nada que se encaixasse tão bem em algum momento da minha vida quanto ao seu comentário.

Tenho 22 anos, me formei em Direito e estava me sentindo como se "não estivesse estudado o suficiente", e o pior: que estivesse escolhido o curso errado, justamente por conta desta vontade de "ter mais conhecimentos em várias áreas".

Confesso que isso já estava me perturbando há uns 06 meses e me aliviei ao ler seu comentário: é tão simples, sincero e revelador!!!

Obrigado pelo comentário!

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário,Fernando!
Que bom que você consegui se aliviar lendo meu comentário!
Realmente eu não gosto de estudar mesmo e quer ter mais conhcimentos em várias áereas.
Só que para a gente se dar bem profissionalmente, nós precisamos especializar em alguma coisa.
Senão, não temos como ficar bem remunerado.
Isso é uma grande realidade.
;)

Anônimo disse...

estudar e bom mas percebi que deve ser dificil no Japao devido a competicao excessiva.Me desculpe mas aparentemente nao ha muito dialogo,nem em casa nem na escola ,nem trabalho...percebi que parece que os japoneses ficaram individualistas demais...e nao gostam que facam perguntas pessoais,mas creio que atraves dessas perguntas que nos conhecemos,ajudamos uns aos outros etc...e logico que tem os fofoqueiros mas no geral temos esta interatividade...acho q o fato nao e etudar demais e sim nao extravazar nunca os sentimentos.

ALN Fernandes disse...

Nós, brasileiros, costumamos denegrir muito a imagem do nosso país.
É verdade que temos muito a melhorar, mas é bom saber que não existe perfeição, e que todos os países tem seus prós e contras.
Obrigado pelo blog, é sempre bom ver a posição crítica de alguém sobre sua própria nação.

Anônimo disse...

ADMIRO DEMAIS A EDUCAÇÃO NIPONICA, SOBRETUDO A EDUCAÇÃO ORIENTAL. UM EXEMPLO TEMOS AQUI NO BRASIL MESMO = RARAMENTE OU PRA SER SINCERO QUASE NUNCA VEMOS JOVENS ORIENTAIS ENVOLVIDOS EM CRIMES, EM TRÁFICO, EM QUALQUER QUE SEJA A REBELIÃO, PEDINTES NAS RUAS, EU DIGO COM TODO CONHECIMENTOS, POIS COM 55 ANOS TE DIGO QUE NUNCA, MAS NUNCA MESMO!!! VI UM ORIENTAL EM TAIS CONDIÇÕES. TENHO QUASE CERTEZA QUE ATRÁS DESSA EDUCAÇÃO DOS JOVENS ORIENTAIS TEM A ESTRUTURA DE UMA FAMILIA COM TRADIÇÃO MILENAR EM EDUCAÇÃO, COISA QUE FALTA (E PÕE FALTA NISSO!!) À EDUCAÇÃO BRASILEIRA QUE INFELIZMENTE A MISTURA E MISCIGENAÇÃO RACIAL NOS FEZ A TERRA DO "JEITINHO", DO "REBOLADO" , DO TRÁFICO DE DROGAS, DO "BOM MALANDRO" DA CORRUPÇÃO POLÍTICA, ENFIM, COISAS QUE NOS DENIGREM E QUE TEMOS QUE CONVIVER DIÀRIAMENTE... TEMOS QUE APRENDER SEMPRE COM A EDUCAÇÃO ORIENTAL SOBRETUDO À JAPONESA...

Tayzun Yamato disse...

Nossa, realmente e um absurdo, mas obviamente eu acho que a educação de ela e muito melhor que a daqui mas não da para acreditar que eu teria que gastar quase meio milhão de reais para se forma em medicina.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics