sábado, 6 de julho de 2013

Você tem perspectiva correta sobre reconstrução do Japão após Sismo?


  Ao caro leitor

  Muitos brasileiros já me mostraram suas admirações sobre a reconstrução rápida da infra-estrutura no Japão após aquele terremoto e tsunami ocorrido no dia 11 de março de 2011, lamentando a reconstrução demorada após catástrofes aqui no Brasil.

  Baseado em qual informação, os brasileiros estão elogiando os japoneses!?

  Hoje eu gostaria de lhe explicar um pouco sobre a situação atual bem problemática que os brasileiros não estão sabendo.

  Antes de mais nada, eu gostaria de lhe informar que a grande maioria das cidades atingidas pelos terremotos e tsunamis ainda não está nada reconstruida como deveria. Aliás, a reconstrução da infra-estrutura está muito atrasada conforme o plano inicial. 

  Infelizmente não há nada a elogiar o governo japonês.Por isso, eu não entendo por que os brasileiros elogiam a reconstrução rápida da infra-estrutura no Japão como se tivesse resolvidos a maior parte dos problemas, destacando apenas algumas partes reconstruidas.

  Contudo, por que um país organizado como Japão está atrasando tanto as reconstruções das cidades atingidas!?Para você entender o assunto melhor, eu vou citar outro terremoto grande como referência.Você se lembra do grande terremoto que ocorreu em Kobe no ano 1995?


  Vamos comparar os dois grandes terremotos ocorridos nas últimas duas décadas no Japão pelos dados estatísticos a seguir.


Magnitude
7.3
9.0
Províncias atingidas
3
12
Número de mortes e desaparecidos
6437
18554
Número de refugiados
316 mil
400 mil ( 298 mil pessoas ainda estão morando nas casas previsórias )
Número de prédios destruídos
249 mil
398 mil
O valor do prejuízo direto
R$ 200 bilhões
R$ 500 bilhões

  A primeira diferença grande entre dois terremotos seria o tamanho da área atingida.

  Como você percebe pela lista acima, a área atingida pelo Sismo de Kobe foi bem restrita.Ou melhor, pode-se dizer que o terremoto atingiu praticamente uma província chamado Hyogo, destruindo muitas casas e provocando muitas mortes.Como os danos estavam concentrados numa região só, era mais fácil de reconstruir as cidades após a catástrofe, apesar de precisar enfrentar muitas dificuldades que você pode imaginar.

  Por outro lado, a área atingida pelo Sismo de Tohoku era bem ampla, abrangendo toda parte do nordeste do território do Japão desde Tóquio até Hokkaido.Para piorar a situação, os habitantes da região nordeste do Japão também sofreram de Tsunami, o que era uma consequência do grande terremoto.


  Aliás, entre as vítimas deste sismo, 92.5 % das vitimas morreram por causa do Tsunami.Ou seja, se o terremoto não tivesse provocado Tsunami, o número de mortes seria bem menor do que o número de morte registrado.Com essa informação, dá para  imaginar quanto influente Tsunami é,ne?

  Quando ocorre apenas um terremoto, mesmo que isso seja muito grande, o máximo que pode acontecer é destruir todos os prédios completamente nas regiões atingidas, e acontecer alguns incêndios. As coisas queimadas das construições permanecem nos locais.

  Isso quer dizer que os proprietários dos prédios ou das casas residências podem saber pelo menos de onde até onde são seus terrenos.Talvez possam aproveitar algumas coisas que restaram no local.

  Entretanto,quando vier Tsumami juntos, água em grande quantidade vai levar TUDO para algum lugar que ninguém sabe onde.As áreas civilizadas se tornam um terreno sem nada, que nem deserto. Sob a essa condição, nenhum proprietário pode dizer de onde até onde é seu terreno exatamente.


  Ou seja, as prefeituras das cidades atingidas precisam tomar a liderança na hora de organizar tudo, já que não tem nada nos locais.Também há muitos terrenos,cujos proprietários já morreram por causa dos terremotos.Caso ex-proprietários dos terrenos tiverem filhos, eles podem participar como herdeiros e exercer sua função.Caso contrário, como é que faz?

  Se construirem as cidades mais uma vez sem plano, sem nenhuma providência contra Tsunami, caso enfrentar próximo terremoto grande com Tsunami, os habitantes vão precisar sofrer de novo.Então, as câmaras municipais precisam decidir como vão reconstruir as cidades consultado com os habitantes. Contudo, cada pessoa tem sua opinião diferente ao respeito!!

  Não é fácil decidir qualquer coisa por unânime.Todo mundo quer agilizar os processos de reconstruções das cidades atingidas o mais rápido possível.Quanto mais correto as pessoas tentam fazer, mais tempo acaba demorando....Como a burocracia é “Burrocracia”,ne?

  A segunda diferença grande entre dois terremotos seria o problema de usina nuclear no sismo de Tohoku em 2011, o que não estava na pauta no sismo de Kobe em 1995.


  Na usina nuclear que fica em Fukushima deu vazamento de radiação.Inicialmente o então primeiro ministro Kan negava a possibilidade de derretimento nuclear no local.Contudo, alguns meses depois, ele admitiu a ocorrência e logo em seguida renunciou o cargo.

  Logo depois do terremoto,evacuaram-se cerca de 300 residentes num raio de 3 km do reator da usina.Horas depois o raio de evacuação tinha sido elevado para 10 km, afetando já 45 mil pessoas. Alguns meses depois, a área num raio de 20 km da usina é determinada como área onde as pessoas comuns não podem entrar.Dizem que ser humano não pode viver nesta região pelo menos próximos 20, 30 anos, já que o vazamento da radiação das usinas ainda continua, o que é mesmo que aconteceu no acidente nuclear de Chernobil.


  A radiação é invisível.Ninguém pode prever qual problema pode causar aos seres humanos.Por isso mesmo, é um problemão que ninguém sabe como lidar com isso.Não temos como viver com medos,ne?

  O governo japonês ainda não avisou aos ex-moradores nessa região oficialmente sobre a possibilidade de eles retornarem aos locais no futuro.Assim,ex-moradores não podem decidir nada baseado nas informações incertas.

  •   Onde e como esses refugiados podem viver?
  •   O governo japonês pagam compensações para esses refugiados que eram proprietários dos terrenos ou das casas?

  Mesmo habitantes que moram fora do raio de 20 km da usina também estão enfrentando os problemas, já que há alto índice de radiação no local.Para que eles consigam viver tranquilamente, precisa de tratamento especial para limpar radiação acumulada no local, o que é mais custo para o governo japonês.

  Os habitantes que moram em Fukushima enfrentam o problema peculiar causado pelo vazamento da radiação da usina danificada devido ao Tsunami,além de precisar enfrentar os problemas citadas acima....

  Aliás, o sismo e tsunami de Tohoku proporcionou um tema importantíssimo ao povo japonês : Energia.Como eu já repeti várias vezes neste blog, o Japão é um país “pobre” que não tem recursos naturais.No entanto, para que o povo consiga manter a vida cotidiana e as empresas consigam produzir produtos industrializados, os japoneses precisam de energias em grande quantidade, o que é indispensável.

  O governo japonês veio instalando usinas nucleares no todo território japonês, justificando que era um método seguro e limpo, pois não causa poluição que nem outro método como geração de energia térmica.

  Sabe quantas usinas nucleares no Japão?  É o terceiro país no ranking mundial com 54 unidades, perdendo só para os Estados Unidos e França....


  O método para gerar energia mudou muito após o sismo e tsunami de Tohoku, como você vai notar pela figura a seguir.

Geração de energia elétrica
Antes do Sismo
2013
Energia térmica
62 %
91 %
Energia nuclear
31%
3 %
Energia hidráulica
7%
6%

  Deu para entender como o governo japonês mudou a política sobre o método para geração de energia elétrica após o sismo e tsunami de Tohoku,ne?

  O governo japonês mandou parar muitas usinas nucleares logo depois da tragédia ocorrida nas usinas nucleares em Fukushima.Contudo,o governo começou a tomar iniciativa de ativar algumas usinas ultimamente.O povo japonês está dividido sobre essa iniciativa.É um assunto muito delicado que deve ser discutido bastante, já que essa política vai determinar o destino do país.

  A matriz energética do Brasil é baseada nas usinas hidrelétricas.Mesmo assim,o Brasil tem duas usinas nucleares em funcionamento e uma em construção, todas em Angra dos Reis (RJ).


  Olha o que aconteceu com as usinas nucleares em Fukushima?Será que o Brasil precisa construir usina nuclear nova?Caso acontecer o vazamento de radiação, o prejuízo é incalculável!!

  Você não sabe que não há terremotos no Brasil?Eu sei disso.No entanto, quem vai garantir que não vai acontecer nenhum acidente por falhas humanas?

  O Japão não tinha outra opção além da usina nuclear, já que é um país bem pequeno!!

  A mídia brasileira deve passar informações corretas aos telespectadores conforme o levantamento profundo em vez de relatar a situação superficialmente só pelo que está enxergando com seus próprios olhos.

  Assim o povo brasileiro acaba ficando com noções errados sobre tudo....

  Em dois anos e 4 meses, conseguiram limpar os terrenos levando os detritos para queimá-los nos outros locais.Infelizmente as reconstruções das cidades atingidas nem começaram.

  ;)

Comentários
12 Comentários

12 comentários:

Iruka disse...

Fico mais triste por ver muitas pessoas idosas que poderiam aproveitar a aposentadoria ter que recomeçar do zero.
Outra coisa que não entendo é o Japão se candidatar a receber os jogos olímpicos em 2020 ao invés de investir pesadamente nas regiões afetadas.
Quanto a geração de energia,por que não pesquisam sobre a possibilidade de captar energia através dos terremotos ou mesmo dos vulcões?

Alvaro Tavares disse...

O que era fácil fazer, como consertar uma estrada, os japoneses fizeram logo, mas parece que a burocracia é um grande problema lá também...
Ah, na tabela o correto é "provisório" ;)

Cris disse...

Acredito que esta impressão dos brasileiros se deva ao fato da percepção que o povo japonês é mais organizado e objetivo que o nosso.
E como diria Nelson Rodrigues; brasileiro sofre da síndrome de cachorro vira-lata. Então ao ler o que o Japão já fez, provavelmente a maioria dos brasileiros iria pensar que se fossemos nós, não teríamos conseguido ainda fazer nem a metade do que os japoneses já fizeram.
Provavelmente os brasileiros também te dirima que pelo menos o governo japonês está preocupado com seu povo e está o consultando, enquanto no brasil nossas autoridades não consultariam o povo e procurariam tirar vantagens da situação a proveito próprio.

Outra impressão forte dos brasileiros sobre os japoneses é o fato do Japão ter se reerguido tão bem depois de levar duas bombas atômicas.

Anônimo disse...

Eu acho q a diferença esta nas proporções o desastre. Esse ultimo grande terremoto do Japão esta além de qualquer coisa q a gente já viu aqui no Brasil. O povo brasileiro reclama porque destruições de pequenas proporções (se comparadas com essa do Japão) demoram demais pra serem reparadas. Se fosse no Japão isso não aconteceria. Eu não sou japonês mas eu acho que se o Brasil fosse habitado por japoneses, esse pais seria a maior potência do mundo.

Tayzun Yamato disse...

O Japão poderia investir em usinas hidrelétricas, pois esta e uma fonte de energia limpa o governo dos países deviam proibir a construção de usinas nucleares pois além do mais não há como reaproveitar o lixo tóxico que sobra das usinas muitos tentam jogar em aterros sanitários mais isso prejudica os lençóis freáticos que se encontram a baixo do subsolo, um novo método ainda esta em desenvolvimento que e o envio desses lixos para o espaço através de foguetes mais ainda ocorre risco de falha pois ao descarte desses lixos poderiam ser atraídos de volta pela força de atração gravitacional poluição e um tema que iremos carregar pro resto das vidas em nossas mentes e deveremos garantir que os nossos futuros entes possam viver com qualidade de vida. Bem nunca havia me enganado a respeito do processo de reconstrução das cidades devastadas pelos terremotos e tsunamis nunca pensei que fosse algo tão rápido mas também não tão lento do meu ver o ritmo das reconstruções continuam em um aspecto normal(ou não engano meu). 偉大なポスト (essa foi retirada do google tradutor HEHE.)

Anônimo disse...

por q nao tem japa e mestiço na TV no BR?

DeMorais disse...

Olá, quero chamar a sua atenção de que você não tem ideia da dimensão que a reconstrução do Japão após o último terremoto tem para um brasileiro. Você se lembra de que em janeiro de 2011 (dois meses antes do terremoto) o Brasil sofreu o seu maior desastre natural da sua História? As chuvas intensas na Região Sudeste, especialmente na Serra do Rio de Janeiro, deixaram centenas de mortos e cerca de 15 mil desabrigados. Mesmo assim o tamanho da tragédia é muito menor do que o enfrentado pelo Japão. Comparando a História do Japão e a do Brasil, vemos que o Japão sofreu muito mais com as diversas guerras, terremotos, tufões e tsunamis. Ainda assim o povo japonês reconstruiu o seu país. A guerra em que o Brasil se envolveu e que teve o maior efetivo foi contra o Paraguai, contabilizando cerca de 60 mil brasileiros mortos, em 5 anos. Mesmo nas grandes secas nordestinas do final do século XIX, estima-se que cerca de 500 mil pessoas tenham perdido a vida, porém num período bem mais longo.
A grande riqueza do Japão não está no seu solo ou subsolo, está na capacidade de trabalho do seu povo. A defesa civil japonesa é muito melhor preparada e equipada do que a brasileira. Um terremoto, e o terrível tsunami que se seguiu, é muito mais difícil de prever do que desmoronamentos de encostas consequentes de chuvas altamente previsíveis. Apesar da dimensão da tragédia na serra fluminense ter sido bem menor do que a do terremoto da mesma época, a reconstrução está seguindo o mesmo ritmo. Veja a reportagem que coloco o link a seguir: http://www.avozdaserra.com.br/colunas/5/9976/governo-federal-autoriza-26-obras-de-reconstrucao-em-nova-friburgo
Quanto às usinas nucleares do Brasil, essa é uma história de mais de 40 anos. Naquela época pensava-se que dominar a tecnologia nuclear indicava avanço científico e garantia de segurança nacional. Ou seja, as razões eram altamente políticas, numa época que existia a guerra fria e o País era comandado por militares. O tempo passou e as obras estavam tão adiantadas que parecia uma loucura abandonar tudo, mesmo com os riscos já conhecidos, como em Three Mile Island. Lembrando que Angra I foi inaugurada antes da explosão de Chernobil.

Jack Skellington disse...

No Brasil não há terremotos, o risco de acontecer algum problema com usina nuclear é mínimo, já foi comprovado que as hidrelétricas são mais prejudiciais e sem contar que o governo usa as usinas nucleares como desculpa para enriquecer Urânio escondido da ONU.... Então na minha opinião seria uma grande burrice retirar as usinas nucleares do brasil pois as mesmas só oferecem vantagens..
(parece q esse povinho dos comentários anda assistindo mto a Globomerda).

Kojiro disse...

ue mas usinas de energia solar,eólica. Eles poderiam fazer alguma,né?

Lu disse...

Pesquisei sobre a reconstrução das áreas atingidas pelo tsunami e descobri que, além da morosidade na execução do projeto de reconstrução em si é a dificuldade dos sobreviventes para viver o dia a dia. Há alguns meses a TV japonesa NHK transmitiu um documentário sobre o difícil recomeço das vítimas do tsunami; a maioria perdeu parentes e amigos próximos, a trágica situação dos sobreviventes idosos que perderam seus descendentes e também suas esperanças. Há grande número de pessoas, jovens ou idosos com depressão, síndrome de panico e apatia diante da dura realidade, pois essas pessoas não só perderam suas casas, mas também as empresas onde trabalhavam, as escolas onde os filhos estudavam e ainda, conviver com o medo da radiação e por que não, de um novo terremoto seguido de tsunami. Imaginei como eu agiria se estivesse na situação dessas pessoas e não encontrei uma resposta.... creio que só a encontraria se passasse pela mesma experiencia..é assustador.

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.
O terremoto e tsunami levaram tudo.
Quem sofreu com isso na ocasião ainda continua vivendo com diversos problemas.O que não pode acontecer é perder esperança.Sem ela,nós não podemos viver.

kurtvanhalen disse...

De fato é um prejuízo enorme um acidente nuclear...mas com exceção de desastres naturais e falhas humanas, a Usina Nuclear em si não é algo negativo. A França por exemplo tem 80% de sua matriz energética nuclear e parece zelar bem pela segurança desta.

No caso do Brasil o risco é falha humana msm...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics