sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Por que os produtos na loja de conveniência são tão caros no Brasil!?

  Ao caro leitor

  Uma das coisas no Japão que eu sinto falta aqui no Brasil é コンビニ ( loja de conveniência ).

  Até dá para dizer que no Brasil também há loja de conveniência junto com posto de gasolina. Só que loja de conveniência daqui é bem diferente da mesma no Japão.

  Hoje eu gostaria de lhe apresentar a loja de conveniência no Japão.


  Quem já foi ao Japão deve ter visto várias lojas de conveniência, já ques têm cerca de 45 mil lojas no todo país atualmente.

  Apesar de ter várias teorias sobre o início desta categoria de estabelecimento comercial, pode-se dizer que a loja de conveniência surgiu nos anos 1970 no país do sol nascente.

  Inicialmente a loja de conveniência era uma loja de pequeno porte, onde consumidores só podiam comprar os produtos e alimentações que usam no dia-a-dia.

  Segue a figura na qual mostra o número crescente das lojas de conveniência no Japão desde 1983.


  Deu para entender que o mercado neste ramo cresceu muito em rítimo bastante acelerado,ne?

  Então, eu vou lhe mostrar ranking das lojas de conveniência conforme os valores das vendas das empresas.
 

Empresa
Volume de venda
Participação
1
1968 bilhões de ienes
30.2 %
2
1666 bilhões de ienes
25.6 %
3
1274 bilhões de ienes
19.6 %
4
902 bilhões de ienes
13.9 %
5
300 bilhões de ienes
4.6 %
6
Outras
395 bilhões de ienes
6.1 %
  

  Como você notou, o mercado neste ramo é dominado pelas primeiras três empresas colocadas, ocupando mais de três quartos do mercado só por elas.

   A loja de coveniência que você vai ver mais no Japão é 7 – Eleven, que tem liderando há mais de 3 décadas, sem dúvida.

 A empresa japonesa chamada de Ito Yokado, que era uma das principais lojas de departamento, firmou o licenciamento com uma empresa americana em 1973 e começou a abrir várias lojas de conveniência em nome de 7 – Eleven no Japão nos anos 70.

Como o próprio nome da empresa diz, antigamente tal loja funcionava das 7 horas da manhã até ás 11 horas da noite nos Estados Unidos. No entanto, com o passar do tempo, iniciou-se o funiconamento durante 24 horas em grande maioria das lojas

  Quando Ito Yokado trouxe a loja de conveniência para o Japão, 7- Eleven já funcionava durante 24 horas. Na época, como o supermercado comum funcionava das 8 horas até 20 horas no máximo, o funcionamento durante 24 horas agradou tanto asalariados que trabalhava até final da noite quanto jovens que gostavam de sair à noite.Portanto,a loja de conveniência foi aceita pelo povo japonês.

Eu acredito que não temos como imaginar o mundo sem a loja de conveniência agora.

 Bom. Na época quando eu morava no Japão, eu ia à loja de conveniência por seguintes razões.

  1). Comprar marmita, salgadinho,pão.


    Para você ter idéia em relação ao preço na loja de conveniência, um Onirigi ( bolinha de arroz envolto por folha de alga ) custa entre 100 ienes e 150 ienes ( entre 2.4 e 3.6 reais ).Como três onigiris seriam suficientes para almoço, uma refeição custaria 10 reais por aí.

   Um marmita custaria entre 400 ienes e 500 ienes ( entre 10 e 13 reais ).

2). Tirar cópias dos materias escolares.

    
      Na época, uma cópia de preto e branco custava 10 ienes ( 25 centavos ). 

  3). Ler revistas de manga em pé gratuitamente.

  
 No entanto, além dessas coisas, você pode fazer muito mais coisas hoje em dia.
 Pagar contas de luz,água,etc.
 Enviar pacotes e receber pacotes.
 Sacar dinheiro na caixa eletrônica.
 Revelar fotos tirados com camera digital.
 Comprar loteria, ingresso de show,selo,etc.

  
 É incrível,ne? Você pode fazer quase tudo que pode imaginar.

 O que é melhor na loja de conveniência no Japão é que você pode ir à loja a qualquer hora.Caso você fica com fome na madrugada, basta ir lá para comprar marmita ou doce, com qual você pode matar seu fome.


  Diferente do que você imagina, os preços dos produtos vendidos nas lojas não são tão caros.Digamos que são 5 % a mais caros comparando com os preços praticados nos supermercados comuns.

  Por outro lado, os preços dos produtos da loja de conveniência no Brasil são absurdamente caros.Há até alguns produtos que custam mais de dobro do preço praticado no supermercado comum.Para piorar, os produtos vendidos lá nem têm variedades infelizmente.

  Segundo levantamento do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), só 16% dos quase 38 mil postos de combustíveis têm lojas de conveniência no Brasil.


  Aí eu tive uma idéia.

  Será que não tem como trazer a loja de conveniência do Japão para o Brasil?

  Na verdade, a empresa americana que firmou licenciamento com a empresa Ito Yokado faliu em 1993 e a empresa japonesa Ito Yokado comprou essa empresa americana.Hoje em dia, 7 – Eleven Japan é que está administrando as lojas de conveniência nos Estados Unidos.

Aliás,7 – Eleven Japan já instalaram lojas de conveniência franquiada em vários países tais como Taiwan, Hong Kong,China,Coreia do sul, Tailândia, Malásia, Singapura, Dinamarca e Suécia. 


  Segundo Wikipedia, no Brasil, em meados da década de 90, a franquia de 7 - Eleven chegou a ter 17 lojas na cidade de São Paulo, mas todas fecharam em pouco tempo.

  Eu posso imaginar várias causas deste fracasso da 7 – Eleven Japan. No entanto, a maior causa deve ter sido a segurança pública comprometida no Brasil.

  Para que a loja funcione durante 24 horas, antes de mais nada, precisa-se contratar um vigilante, o que aumentaria o custo de administração. Aliás, só um vigilante não seria suficiente para combater crimes principalmente à noite, pois um bando formado de vários membros deve atacar o estabelecimento.

  Para dispensar este custo, no Brasil, existe a loja de conveniência só no posto de gasolina. Eu acho isso ótima idéia. Porém, assim o público alvo fica restrito aos motoristas de carros e de motos.

  Em segundo lugar, a cidadão comum que sabe a realidade melhor procura não sair à noite por causa do medo de assaltos nas ruas. Sem clientes, a loja de conveniência não conseguirá vender nada à noite.

  Considerando esses fatores locais, não valeria a pena abir a loja à noite no Brasil.

  Sendo assim, a loja de conveniência acaba perdendo aquela característica mais valiosa de estabelecimento comercial que os outros não têm : funcionamento durante 24 horas.

  Que pena que o desafio da 7 – Eleven Japan não deu certo no Brasil!! 

  Se esta tentativa tivesse dado certo em São Paulo,eu já teria desfrutado vários serviços convenientes oferecidos por ela aqui em Porto Alegre hoje e poderia ter levado uma vida mais fácil, comprando marmitas diferentes em cada dia, como mostra a foto embaixo.


  Infelizmente,isso é um preço que o Brasil está pagando devido à segurança pública comprometida.

 ;) 


Comentários
22 Comentários

22 comentários:

Anônimo disse...

No Brasil as lojas de conveniências seguem a bandeira do posto. Ex: Posto Ipiranga tem a Am Pm; a Esso o Tiger; o posto Shell é o Select.. agora postos de bandeira branca, as que vendem qualquer tipo de gasolina, tem qualquer loja de conveniência, muitas vezes é uma mini padaria.

Aqui é mais um local para esticar as pernas e tomar um cafezinho, comprar um cigarro, chiclets e etc..

A Am Pm agora tem uns lanches combo, assim como o Tiger, com uns lanches goumet. Eu comia antigamente o chilli dog do Select, achava bom o chilli.

E para fazer as compras hoje em dia tem muitos supermercados 24 horas, com preço normal, e para bebidas o Pit Stop Skol e o Pit Stop Brahma com preço de mercado e geladinha.

No Japão funciona porque muitos não tem carro, então fazem as compras na conveniência perto de sua casa.

Iruka disse...

Acho que os produtos são caros porque: aluguel do imóvel é caro, precisa de funcionários que encarem trabalhos com risco de assaltos.
No Brasil, mesmo pagando altos impostos,não temos direito a saúde,educação e segurança de qualidade, somos obrigados ter mais gastos com empresas privadas,sejam em planos de saúde,escola particular,portaria com câmeras,ou seja,pagamos o dobro em tudo,em alguns casos, o triplo.Nem vou entrar no assunto de automóveis e combustíveis,pois disso o povo já está calejado.

Gilberto disse...

Os produtos aqui no Brasil são caros por causa da alta tributação e pelos empresários mercenários. Um refrigerante em lata, por exemplo, que custa menos de R$1 no supermercado, é vendido por mais de R$3 no shopping. Pode uma coisa dessa? Eles têm um lucro de mais de 200%! E isso sem contar que eles compram diretamente com o distribuidor e em grande quantidade, ou seja, eles compram as latinhas de refrigerante por menos de R$1. É esta a realidade: só vendem-nas a esse preço porque tem gente que compra.
Sem contar que nós brasileiros temos uma mentalidade de comprar produtos sem ter condições para tê-los. Aí vem o famoso parcelamento... e é aí que os empresários exploram ainda mais. É por isso que as montadoras de carros adoram o Brasil, pois pagamos um valor absurdo por um carro, pois temos mania de parcelar em milhares de vezes para comprar algo além de nossas reais condições. Se ninguém se submetesse aos parcelamentos para comprar algo que está acima do seu poder aquisitivo, assim não comprando o produto, eles diminuíram o preço rapidamente.
Se o 7-Eleven viesse ao Brasil, eles praticariam os mesmos preços das outras lojas de conveniência. Basta ver o Walmart brasileiro, que não tem nada de diferente dos outros hipermercados.

Diana disse...

O anônimo disse que no Japão funciona porque muitos não tem carros e fazem compras na conveniência mas pelo menos na minha região (kamiina) só se vê gente de carro parando nas lojas de conveniência. As pessoas vão para fazer o que você disse e não para fazer compras. E na minha região a maioria usa carro pq é interior e os horários e distancias das estações são grandes.

Anônimo disse...

Pô Gilberto, não é assim né, por causa de empresários mercenários. Nesses lugares você não pode pensar o refrigerante apenas como produto, o preço está incluso o serviço, a mesa que você senta, o copo, o gelo e a fatia do limão, o ambiente e etc.. O piso e o condomínio do shopping caro, que oferece banheiro, estacionamento, ar condicionado e etc..

Você acha que isso tudo não tem gasto? E isso está refletido no preço final.

J Guimarães disse...

Infelizmente, os comerciantes brasileiros cobram mais nas lojas de conveniência do que nos grandes magazines.

Começa pelo cafezinho que é muito mais caro que nos lugares tradicionais. Por esse motivo, vendem menos e têm mais despesas.

Conclusão: Cobram mais caro para compensar a pouca venda.

Bem, é o que eu penso. Pode ser que esteja errado.

Anônimo disse...

Antigamente na minha cidade tinha várias lojas de conveniência nos postos de gasolina que eram 24h, eram os unicos lugares da cidade que vendia cerveja, cigarro e etc.. depois das 22:00h.

O movimento era grande, era o local para comprar mais cervejas, ponto de encontro dos jovens.

Mas depois dos supermercados 24h, todos as conveniências deixaram de ser 24h, porque no mercado tem muito mais opção, preço baixo e segurança.
Então o movimento das lojas de conveniências caíram, os assaltos aumentaram, era ponto de encontro de rachadores, isso tudo obrigaram as lojas só funcionarem até as 22h.

Anônimo disse...

Pow mas vc ja respondeu sua pergunta! Mas só adicionando.. no Brasil loja de conveniência (o próprio nome ja diz) vc vai por conveniência ^^... vc ta abastecendo seu carro e lembra que precisa muito de alguma coisa, e não tem tempo de ir no supermercado.. então vc vai nela pq ja esta ali mesmo... simples assim.

Anônimo disse...

multi nacionais americanas e europeias continuam mandando no mundo

Anônimo disse...

As lojas de conveniência japonesas são tão arraigadas no cotidiano que pra mim a primeira coisa que lembro do país são eles, já me salvaram de muita fome de madrugada hehehe...

Aqui não dá muito certo não apenas pela questão da segurança: Pelo menos aqui em São Paulo, quem faz o papel da Loja de Convêniência são as nossas padarias que hoje em dia não vendem só pães.

mr.takahashi disse...

Aqui no Japão eu faço quase tudo no Seven Eleven, pago minhas contas,saco dinheiro, faço remessas ao Brasil..sem falar das comprinhas todo dia. Vou sentir uma tremenda falta disso quando voltar ao Brasil.

Anônimo disse...

Olá, meu nome é Bruno.

Infelizmente a maioria dos políticos no Brasil tem um ideal totalmente esquerdista socialista, tratando bandidos como se fosse pobres coitados vítimas do sistema, culpando o cidadão comum pelo fato de tê-lo tornado um bandido. Como resultados, temos viaturas medíocres, policiais armados com revólveres antigos de 5 balas, não podem atirar num bandido, a menos que esse esteja armado e com a arma apontada para ele, caso contrário poderá sofrer processo por assassinato.
Enquanto isso, temos marginais de pistola semi automática, que podem a qualquer momento, sair atirando em várias viaturas da polícia em forma de protesto, caso prendam ou matem algum chefe do tráfico. Não é difícil acreditar que quase todos os políticos devem ter ligação com trafico de drogas.
Já os brasileiros. Eles tem a cultura da TV. É um povo relativamente ignorante e orgulhoso. Se sentem muito elegantes gastando dinheiro em lojas caras, em McDonalds da vida e com carros ultrapassados e antiquados. Ainda pagam R$ 50,000 num corsa, enquanto o mesmo sai daqui para a Europa por menos da metade do preço.
Você não deve saber, mas nós tínhamos uma fábrica nacional, que faliu por pressões de empresas estrangeiras que subornavam fornecedores de peças, isso e mais o fato dos carrões estrangeiros, beberrões de baixa qualidade, serem visto como objeto de alto status. Resultado, essa porcaria tudo preta e prata que se vê pra todo lado.
Nem vou lhe contar porque dos brasileiros só comprarem carros preto e prata. É mais um motivo para eu fazer as malas e ir morar no Chile ou nos EUA.

Anônimo disse...

Infelizmente a maioria dos políticos no Brasil tem um ideal totalmente esquerdista socialista, tratando bandidos como se fosse pobres coitados vítimas do sistema, culpando o cidadão comum pelo fato de tê-lo tornado um bandido. Como resultados, temos viaturas medíocres, policiais armados com revólveres antigos de 5 balas, não podem atirar num bandido, a menos que esse esteja armado e com a arma apontada para ele, caso contrário poderá sofrer processo por assassinato.
Enquanto isso, temos marginais de pistola semi automática, que podem a qualquer momento, sair atirando em várias viaturas da polícia em forma de protesto, caso prendam ou matem algum chefe do tráfico. Não é difícil acreditar que quase todos os políticos devem ter ligação com trafico de drogas.
Já os brasileiros. Eles tem a cultura da TV. É um povo relativamente ignorante e orgulhoso. Se sentem muito elegantes gastando dinheiro em lojas caras, em McDonalds da vida e com carros ultrapassados e antiquados. Ainda pagam R$ 50,000 num corsa, enquanto o mesmo sai daqui para a Europa por menos da metade do preço.
Você não deve saber, mas nós tínhamos uma fábrica nacional, que faliu por pressões de empresas estrangeiras que subornavam fornecedores de peças, isso e mais o fato dos carrões estrangeiros, beberrões de baixa qualidade, serem visto como objeto de alto status. Resultado, essa porcaria tudo preta e prata que se vê pra todo lado.
Nem vou lhe contar porque dos brasileiros só comprarem carros preto e prata. É mais um motivo para eu fazer as malas e ir morar no Chile ou nos EUA.

Anônimo disse...

o preço é alto devido aos altos impostos que o governo cobra trabalhamos 4 meses só para bancar essa cambada de vagabundo que estão no poder nesse país

Célio Ferreira disse...

O problema é mais complexo. É como dominó, cada ação individual prejudica o grupo, vindo de vários aspectos diferentes para vários outros.
Por exemplo, com a baixa educação no país, a cultura não de desenvolve. O povo, individualmente falando, não tem ambição, não tem entendimento financeiro e administrativo do que por que o governo não funciona, então culpam os políticos.
Não entendem que sua pouca produção local reduz as capacidades do seu bairro, e consequentemente da sua cidade, e assim por diante.
Adiante, a administração aqui é muito ruim. Eu costumo equilibrar as ideias políticas de esquerda e direita, não tendendo fortemente pra nenhum lado, mas, no Brasil, a tendência exagerada à esquerda prejudica muito o desenvolvimento. Não há meritocracia alguma, pode-se dizer que o USA até peca pelo exagero nesse aspecto, ao ponto de ser ruim para eles, mas oposto que nós fazemos é pior ainda. Precisávamos ter um pouco mais do American Dream aqui.
Pra resumir, não temos cidadãos preocupados em construir uma sociedade melhor, temos cidadãos que reclamam da má sorte e da pouca ajuda de outros (governo etc), passivos, sem ambição, que procuram apenas a recompensa e não o esforço, logo, a a máquina governamental, tentando segurar toda essa responsabilidade, fica extremamente pesada, e pra se mantar suga as empresas de todo potencial que teriam.
Mas isso é apenas uma linha de raciocínio que explica uma pequena parte do todo, pois a causa dos problemas normalmente está pulverizada em outros setores, de forma sutil e indireta.

Hugo disse...

"Diferente do que você imagina, os preços dos produtos vendidos nas lojas não são tão caros.Digamos que são 5 % a mais caros comparando com os preços praticados nos supermercados comuns."

Discordo.
Refrigerante são 50% mais caros (coca 500ml 150 ien contra 100 ien ou menos do mercado. coca de 1.5 litro 280 ien contra uns 180 ien do mercado)
Produtos preciveis tb são mais caros.

Mas incrivelmente pelo menos aqui na região onde moro os ovos de conbini custam igual ou mais barato que o do mercado (ovos de mesma quantidade e tamanho), e também costumo achar iorgute bulgaria ( pote grande) pelo menos preço ou menos no mercado.
Fora quando há promoções p[ara ganhar mais pontos. ( aliás vc podia fazer um post falando sobre point card e cupons, coisa que quase não existe no Brasil)

Você poderia ter citado sobre os conbini móveis que tem para atender as pessoas que moram em regiões afastadas e os conbinis móveis e improvisados que teve após o terremoto do ano passado.

Sam disse...

Oi Yuki, tudo bem?
Acho as lojas de conveniência brasileiras muito caras, e acho que não piso em uma há muitos meses! xD

Mas uma empresa que tem os mesmos produtos dessas lojinhas e mais baratos até do que em supermercados ou outros estabelecimentos que os vendam é a Lojas Americanas (ou apenas "Americanas"). As Americanas estão presentes em alguns shoppings, nas ruas elas funcionam no mesmo estabelecimento junto com as locadoras de filmes Blockbuster.

O diferencial das Americanas são os preços de filmes e cds, tendo muitos títulos no preço promocional de R$12,99 (aprox. ¥510) e R$9,99 (~¥392), ou promoções "pague 2 leve 3".

Doces, chocolates, salgadinhos, biscoitos refrigerantes, etc também costumam ser bem mais baratos lá do que em qualquer mercado ou lanchonete por aqui. É comum comprar chocolates, balas, etc numa Americanas antes de assistir um filme, ao invés de fazê-lo na bomboniére do cinema, onde tudo custaria o dobro ou mais (mas há quem não se importe...).

A loja também vende eletrônicos, eletrodomésticos, utensílios para o lar, roupas... Ou seja, tem quase tudo que um supermercado, menos alimentos frescos, que necessitem de refrigeração constante (como laticínios e carne) e produtos de limpeza.

Até!

Anônimo disse...

pois é , vc sabe que na argentina também, quase em toda a esquina tem um "kiosko" com essa mesma característica..
eu moro no menino deus aqui em porto alegre e tem uma conveniencia , 24 horas perto da minha casaa

Emerson Ribeiro disse...

Boa Noite pessoal!
Concordo com quase tudo dito por vcs, acrescentaria também algumas observações Japão x Brasil.
O trabalhador japones tem renda percapta maior (?) e não ter tempo/disposição/habilidade para afazeres domesticos, por isto come na rua para chegar em casa e dormir, assim o fluxo de pessoas e mais auto (escalabilidade). No japão os juros (custo do dinheiro) e perto de zero a decadas, então o investimento com rendimento baixo ainda pode compensar. Aqui os preços podem ser altos por conta de outros fatores como encargos sociais e trabalhistas, alta rotatividade da mão de obra, impostos sobre impostos, alto custo de formalizaçao de negocios, custo da energia e telefonia e aluguéis. Os proprietários não são bonzinhos quer que um empreendedor quebre para em seguida quebrar outro. Não fazem parcerias (parazitismo e canibalismo).

juca disse...

Interessante. Cheguei à conclusão de que não existe loja de conveniência no Brasil, pelo menos no modelo tradicional. O que temos é um "posto de gasolina com conveniências." E o preço abusivo se justifica: 1) pela falta de segurança, é muito assalto; 2) falta de legislação coibindo lucro abusivo. 3) Nosso país é uma piada.

Anônimo disse...

Não. Há anos atrás usava-se muito bicicletas, mas hoje em dia para cada familia há 3 carros

Anônimo disse...

De fato, as poucas lojas de conveniência podem ser encontradas nos postos de gasolina da mesma forma que algumas vending machines só são encontradas em locais onde há alguma segurança e grande fluxo de pessoas. Você jamais verá uma vending machine (jidohanbaiki 自動販売機 ou apenas hanbaiki) instalada em uma rua qualquer como no Japão...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics