segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Você sabe a história do país vizinho!?

  Ao caro leitor

  Você sabe a história do Japão!?

  Não!? Por que!?

  Porque você não aprendeu nada ao respeito na escola?

  Pois bem. Então, será que os japoneses sabem a história do Brasil!?

  Infelizmente a resposta é “Não”.

  Porque o povo japonês não aprende nada sobre a história do Brasil na escola. É mesma justificativa que os brasileiros.


  Aliás, o povo japonês não sabe “quase” nada sobre a história do Brasil.

  Na verdade, o Brasil aparece duas vezes no livro didático da história mundial utilizado no Japão, pelo menos na época em que eu era aluno do ensino fundamental.

  A primeira descrição é sobre o “descobrimento” do Brasil pelo Cabral em 1500 e a segunda descrição é sobre a época de hiper-inflação nos anos 80 do século 20.


  Como é que os japoneses podem ter uma noção sobre a história do Brasil baseado nessas duas descrições!?

  Para piorar, cada descrição não passava de três linhas, se eu não me engano.

  Bom. O que eu queria dizer com tudo isso não é sobre desinteresses mutuais pelas histórias dos outros países.

  O que eu queria lhe questionar neste post para os leitores é sobre interesses pelas histórias dos países vizinhos.

  Você sabe a história da Argentina!?

  Um pouco!?

  E do Uruguai, Paraguai e Bolívia!?

  Não tem como você se justificar a sua falta de conhecimento sobre as histórias dos países vizinhos argumentando que esses países ficam distantes do Brasil que nem o Japão,ne?

  Bom. Em geral, os japoneses aprendem a história três vezes na escola.

  Em primeiro lugar, eles aprendem um resumo da história do Japão em 5º e 6 º ano do ensino fundamental.

  Em segundo lugar, eles aprendem tanto a história do Japão quanto a do mundo em 8º e 9 º ano do ensino fundamental.


  Em terceiro lugar, eles escolhem uma matéria entre a história nacional e a mundial e aprendem a matéria escolhida em 1 º e 2 º ano do ensino médio, através da qual eles fazem vestibular ao ingressar na universidade. (Eu escolhi a história mundial)

  Mesmo que você escolhe a história do Japão no colégio, é obrigado a estudar sobre a história dos dois países vizinhos do Japão : China e Coréia.

  Para falar a verdade, comparando com a quantidade de páginas sobre a história da China, a descrição sobre a história da Coréia é bem menos. Ou seja, os japoneses aprendem praticamente só a história da China.

  Para a grande maioria dos brasileiros, talvez não consigam entender por que os japoneses precisam aprender a história da China na escola, ne?

  Entretanto, ao longo da história do ser humano, a China sempre foi o país mais desenvolvido e era uma referência para os demais países asiáticos. Aliás, mesmo enxergando a China sob uma visão mais universal, a China sempre foi um dos países principais do mundo, ne?

  Por isso mesmo, os japoneses aprendiam muitas coisas de altas tecnologias da cada época com os chineses. Começando pelo 漢字 ( ideogramas ), nós aprendemos budismo, arquitetura, cerâmica, costura,  sistema política, sistema monetária e muito mais.


   Japão sempre foi um país menos desenvolvido e “subordinado” da China. Foram os japoneses que desfrutavam as invenções novas desenvolvidas pelos chineses.

  Todavia,mais ou menos a partir de segunda metade do século 19, essas posições dos dois países inverteram. Considerando 4 mil anos de história chinesa, esses últimos 150 anos que o Japão ficou na frente da China serão considerados como uma época passageira e excepcional pelos chineses.

  Aliás, seja bom, seja ruim, a China voltará a ser um país potente que poderá influenciar muito na história mundial daqui para frente.

  Que seja, por esta baita influência, os japoneses aprendem sobre a história da China desde o ensino fundamental.E quem aprendeu a história da China sabe que o pais sempre foi dominado pelas etnias diferentes em cada época.

  Sim. Na verdade, não existem “chineses” na China. Em cada época, uma etnia determinada implantava um sistema diferente e sua cultura e divulgava isso como um padrão que representava China para os países vizinhos como Japão.

  Á essa altura, surgirá uma dúvida seguinte.

  Será que os chineses aprendem a história do Japão bem como os japoneses!?

  Eu imagino que os chineses aprendem bastante sobre a história moderna do Japão, principalmente a história após a Primeira GuerraSino-Japonesa ( 日清戦争 ) em 1894, já que foi aí que começou a época de humilhação para os chineses.


  Para completar sobre o assunto, eu vou lhe informar que há controvérsias sobre a maneira de descrições sobre guerras entre China e Japão nos livros didáticos publicados no Japão歴史教科書問題no pleno século 21 ainda.

  Só para você ter uma idéia, por exemplo, o governo chinês reclama sobre o uso da palavra “avanço” na descrição de um acontecimento histórico, onde deveria utilizar palavra “invasão” no livro didático da história no Japão.

  Tudo bem. A meu ver,eles têm toda razão para reclamar sobre isso.

  Só que eles também tentaram “invadir” o Japão em 1274 e 1281 ( 元寇 )!?


  Quem tentou invadir não foi “chinês” ,porque era mongol? No entanto, eu já lhe expliquei que a China foi governada pelas várias etnias ao longo da história. Como isso aconteceu há muito tempo, “os chineses” atuais não têm culpa para isso!?

  Não foram os países europeus que invadiram o território chinês e colonizaram a China por acaso!?

  Eu não estou lhe querendo dizer que o Japão não tem culpa. Pelo contrário, o Japão tem culpa para certas coisas e primeiros ministros do Japão já pediram desculpas várias vezes.

  Mesmo assim, o governo chinês não para de solicitar desculpas ao governo japonês cada vez que acontecem alguns problemas políticos entre dois países.

  Aliás, ultimamente eles até exigiram que o imperador japonês pedisse desculpas em relação ao que aconteceu. Parece um relacionamento de um casal que não está dando muito certo....

  Quando vai acabar isso!??

  Bom. Eu tenho sensação de que os chineses não aprendem a história como aconteceu de fato e nem aprendem a história antiga do Japão na escola.

  Os chineses que participam de programa de TV japonesa falam suas opiniões à vontade. Porém, quando um japonês solicitou um chinês a falar suas reclamações sobre o governo chinês, ele ficou calado.

  Isso quer dizer que lá tem censura e o povo chinês não tem liberdade para falar sua opinião em público.

  Quem acompanha a noticia da Ásia deve saber se teve problema de território entre o Japão e a China nesses dias ( 尖閣諸島問題 ) e teve manifestações dos chineses contra Japão em toda China.


  Muitas empresas japonesas na China sofreram danos e li postes dos alguns blogs dos japoneses que trabalham como professor de japonês na China, nos quais relatavam suspenções das aulas e saída obrigatória do apartamento para outro lugar mais seguro etc.


  Graças a Deus, após a “orientação” pelo governo chinês, a manifestação se acalmou...

  Voltando ao assunto inicial, eu gostaria de lhe apresentar um anime chamado Kingdom, no qual trata sobre Qin Shihuang, o primeiro imperador da China no ano 221 a.C.

  O autor deste anime é Yasuhisa Hara, que é japonês.

  Sim. É japonês!! Um japonês vai criar um manga baseado na história do outro país : China!!

  Que maravilha, ne?

  Um chinês jamais escreverá manga ou livro baseado na história do Japão.

  Num país onde o governo controla o que o povo escreve, como é que vai surgir uma obra criativa no qual inclui a história do Japão!?

  Eu já apresentei dois animes, nos quais desenvolvem as histórias baseado nos fatos históricos, nos posts neste blog.Quem se interessou pode verificá-los clicando nomes embaixo.

  JIPANG

  O que você vai ver nestes animes é uma das várias interpretações sobre história e ninguém sabe se isso é verdade ou não.Mesmo assim, eu acho que conhecer a história através do anime ou manga é muito legal, contanto que não tenha a censura pelo governo.

  Que bom que eu nasci num país onde têm vários canais de se expressar, na época em que o povo tem toda liberdade de se expressar!!

  Mesmo que o Japão se torne um país “subordinado” da China como antes, eu prefiro viver no Japão, onde tem liberdade de expressão.

  Espero que os chineses também tenham mesma liberdade no futuro.

  A história comprova a importância da China para o Japão e vice-versa. Não devemos estragar a relação por causa das ilhas pequenas, pois nenhum dos dois vai sair ganhando....


  E você? Você se interessou pela história do Japão, China e Argentina!?

  ;)

Comentários
20 Comentários

20 comentários:

Felipe disse...

No periodo mencionado pelo Eduardo estudei sobre os principais assuntos do Mexico, EUA, França, Inglaterra, Japão,Russia,Africa, China America Espanhola , Italia e Alemanha e evidente Brasil e Portugal com muito mais profundidade. Acredito mesmo que apesar de nossas deficiencias escolares saibamos muito mais de outros paises do que os outros de nos. Um exemplo bem manjado e que muitos Estrangeiros confundem o Brasil com outros paises latinos, principalmente Argentina.Muitos estudantes de outros países mal sabem onde ficam os paises geograficamente, inclusive usam mapas com escalas distorcidas !Imagina se eles vão se interessar pela Historia dos outros. Soberba e desinteresse .

Eduardo disse...

nfelizmente, no estudop de História Internacional só aprendemos sobre Estados Unidos e Portugal

O motivo da restrição do estudo de História, foi a ditadura militar quer reunião o estudo de matérias de ciências humanas, como Sociologia, Filosofia, História e Geografia em 1 disciplina:OSPB(Organização Social e Política Brasileira), para evitar a formação de pensadores humanistas, o que imagino quer deva ocorrer na China e na Coréia do norte.

Após a redemocratização, voltou-se a fornecer as disciplinas excluídas.

C

Marcio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Haruka disse...

Eu diria que aprendemos mais sobre a Europa do que sobre países vizinhos.

Mas eu acho que o motivo disso é simples: Sempre tentamos aprender a história dos países que são para nós referências em desenvolvimento. Como vivemos no mundo "ocidental", nossas referências são países da Europa e os Estados Unidos.

Aprendemos muito sobre a origem dos povos europeus (sobre os gregos e romanos, por exemplo), bem como sobre Portugal e sobre a colonização dos Estados Unidos (assim como sobre a descoberta da América e do Brasil).

Que eu me lembre, estudamos sobre a Ásia uma única vez, no ensino médio, e grande parte do conteúdo é realmente sobre a China.

Por estes motivos sinto dizer que sei muito pouco sobre a história da Argentina ou de nossos países vizinhos... No máximo eu sei citar os países da América do Sul que não foram colonizados pela Espanha ou Portugal.

Agora uma curiosidade não muito relacionada: Gostaria de saber sua opinião (pessoal) sobre tatuagens e como elas são vistas pelos japoneses atualmente. Sei que os japoneses viam as pessoas tatuadas como yakuza ou delinquentes, mas eu queria saber se essa visão permanece ainda hoje.

Jang Geun Suck disse...

Aqui no Brasil também estudamos pouco a Coréia.

Anônimo disse...

Também estudamos pouco da Coréia comparado a China e Japão.

yukipoa disse...

Oi,Haruka!
Ter tatuagem não significa Yakuza no Japão hoje em dia.
Mas, quem coloca tatuagem são jovens e eles não vão ser vistos pelos adultos, eu acho.
Como eu sempre escrevi neste blog, quem quer chamar atenção pelo visual precisa enfrentar pessoas conservadoras que não aceitam coisas novas.
;)

Eduardo disse...

yuki, vi a tradução de seu blog do japonês p/ o português e confesso que achei meio estranho a sua citação em relação ao fato das mulheres brasileiras buscarem "um marido p/ sustentá-las" no sentido de parecer que todas as mulheres brasileiras são interesseiras.

Antes a mulher era considerada como pessoa incapaz, assim como ocorre hoje nos países islâmicos(as mulheres usavam véus para cobrir os rostos nas missas), assim como ocorreu nos Estados Unidos, p. ex.(que ainda não teve uma presidente mulher).

Hoje as mulheres brasileiras não "vadias"(imagino que existem vadias até mesmo no Japão,rsrs, mesmo porque pelo que sei a prostituição no Japão é legalizada assim como no Brasil) buscam uma marido que gnanhe o mesmo que ele ou mais pois querem que ela e o filho tenha conforto após o casamento.Muitos velhos cauéticos ou homens horripilantes, dos Estados Unidos se casaram com coelhinhas de Playboy(90% dessas coelhinhas são dos Estados Unidos) só para beijar uma novinha, que o diga a Pamela Andersen.

Qual a criação pretende dar a seus filhos? Um misto da brasileira com a japonesa ou uma criação niponica?

Anônimo disse...

Acho que tem muita gente generalizando. A maioria dos livros didáticos de História e Geografia contem história dos países da América do Sul e da Ásia, sim. E com muitos detalhes. Eu estudei durante meu tempo de ensino médio e até fiz um seminário sobre história do Japão na época. Existe uma preocupação com história internacional especialmente nas escolas públicas. Isso ainda não é deficiência na educação no Brasil. Dêem uma olhada nos livros didáticos e façam estatísticas antes de virem vomitar generalizações. Chatice, meu.

Alex Milane disse...

Ao decorrer de minha vida na escola acredito que estudamos sobre a história de grande parte dos países(Isso mais em Geografia que História). No entanto cada país é demonstrado numa certa época em que alguma coisa marcante aconteceu nele. ("Roma" - Império, Grécia: filosofia e religião, Japão - 2º Guerra, Portugal, Espanha, Holanda - exploração das terras brasileiras, Países sul americanos - Mercosul e civilizações antigas, Inglaterra, França, Alemanha - (2º Guerra, rivalidades épicas, Revolução Industrial), America Central - Civilizações antigas, EUA - Tudo; Africa - (Fome, escravidão e Egito antigo), Austrália - povos nativos. China, Índia e Tigres Asiáticos - Densidade demográfica e religião budista, Arábia - Religião e Guerra do Golfo.
Em suma eu acredito no que o Felipe disse "O Brasil aprende muito mais sobre outros países do que os outros de nós". --- Mapas decentralizados ou de ponta cabeça, A Amazônia como território pertencente ao mundo todo e não só ao Brasil e vizinhos, além da determinação em mostrar que aqui não tem nada além de índios, catadores de lixo e moradores de favela ---

Nathalia Quagliato disse...

Estou estranhando a maioria dos comentários, neste post. Porque eu aprendi sim sobre a história japonesa,da Era Meiji aos tempos atuais. Assim como aprendi sobre a história da China e da África e a formação do Canadá, dos EUA e da Europa (porque seria muito complicado estudar cada país europeu, embora muito interessante e divertido, ao meu ver).

A América do Sul fui um pouco diferente. Estudamos apenas os processos de independência e como foram mais ou menos os mesmos em todos os países, com exceção do Brasil, foi algo bem genérico, mesmo. Uma pena =/

Óbvio que em momentos históricos marcantes, como a Revolução Francesa, a Revolução Russa e as Guerras Mundiais acabamos estudando um pouco mais a fundo os países envolvidos.

Então, acho que apesar de precisarmos sim de uma boa mudança em nossos sistema de educação, estamos bem em História. Se compararmos, a boa maioria dos estudantes consegue citar a capital dos EUA, do Japão e de muitos países europeus com mais destaque no cenário mundial, assim como os países membros do BRICS, enquanto muitos estudantes estadunidenses mal sabem diferenciar Brasil e Argentina.

Sandroluc disse...

Na época em que eu estudava, o único país que aprendemos um pouco foi Portugal, e muito em cima da vida de Dom Pedro II, a Princesa Isabel e Pedro Alvares Cabral. Ótimo Post como sempre.

Nicholas disse...

Curioso, acho que isso varia muito. Por exemplo, creio que em São Paulo o estudo sobre a Ásia deve ser mais severo, afinal, lá é o reduto de grande parte dos orientais.

Moro em MG e posso dizer que não estudo a história de nossos vizinhos, exceto a Guerra do Paraguai e Civilizações Antigas e América Espanhola Colonial. Sobre o Japão e China, posso dizer que vi muito pouco mesmo. Do Japão vi apenas Era Meiji (2ª Guerra Mundial apenas citava) e da China, Imperialismo Inglês. Nem sobre dekasseguis e imigração japonesa aprendi na escola, sei por conta própria.

Engraçado é que ensinaram sobre imigração italiana, alemã, espanhola e portuguesa ao Brasil, mas nunca me ensinaram sobre imigração japonesa, árabe e Leste Europeu, nem ao menos citaram.

Hugo disse...

Que eu em lembre na escola só aprendi sobre Japão coisas da Segunda Guerra mundial (ataque a Pearl Habor, e as bombas atômicas), um pouco da imigração deles para o Brasil. Dependendo do livro ou do professor podem acabar ensinando mais coisas.Que eu me lembre na minha época a cosia mais atual que havia no livro s obre história do Brasil era sobre Plano Real e Itamar Franco.

Hoje em dia acho que as cosias já mduaram né, e tem ainda a internet para complementar os conhecimenos, mas precisamos ter bom senso para saber filtrar conteúdo e não ficar acreditando em tudo que esta escrito na internet.

Liziane disse...

Eu também não tive nenhuma aula sobre o Japão, China ou Coréia na escola...apenas algumas citações passageiras. Mas hoje a minha principal fonte de História sobre esses países são os animes e mangás históricos. Kingdom, que você citou é um dos que eu estou assistido, fora outros como Hakuouki Shinsengumi Kintan, Juuni Kouki, entre outros. Um dos últimos que eu assisti foi um romance que falava sobre o Ogura Hyakunin Isshu compilado por Fujiwara no Teika no período Heian..eu gostaria de aprender mais sobre eles mas encontro pouquíssimo material em português...

Gabriel Gomes disse...

Esse ano, estou no 1º ano do ensino médio, não estudamos a ásia, o professor pulou essa parte do livro, mas tinha pelo menos uma unidade sobre Coréia, Japão e China. A história do Japão tinha menos,e ele pulou essa parte da ásia porque disse que tinha que dá tempo até o final do ano para as unidades mais importantes, idade média, antiguidade, Renascencia, etc. Ele disse até que era obrigatória agora por lei estudara áfrica, então ele ensinou essa unidade, mas ásia não. Eu nunca estudei na vida sobre a Ásia, nem no fundamental nem em nada, eu até perguntei a professora no fundamental por que só falamos sobre a Europa, ela disse que é mais importante. Portanto, no Brasil nós nem mesmo estudávamos a áfrica, agora começou, a ásia quem sabe um dia tenha sua história ensinada nas escolas brasileiras.

João disse...

Como em um post que você colocou, eu tenho orgulho de dizer o colégio no qual estudei, pois ele me preparou para estudar em qualquer faculdade tanto no Brasil, quanto no mundo, digo isso porque meus amigos que foram para os Estados Unidos, e Inglaterra sairam de suas faculdades com as maiores notas da história de cada instituição, enfim, aprendi desde a era Meiji até o controle americano junto aos novos zaibatsu no pós 2 guerra mundial. Apesar de ser engenheiro, creio que aprender história de forma plena, foi algo importante para entender o mundo em que vivo.

Anônimo disse...

Esse comentário de que o Brasileiro não conhece a historia do pais vizinho é totalmente fora de contexto.

O japão só tem tres vizinhos, praticamente, enquanto o brasil tem dez paises fronteiriços- imagina estudar a historia de dez paises!

Voce nao estudou no Brasil, e por isso nao sabe que aprendemos a historia da Europa, e um pouco de tres paises vizinhos : uruguai, paraguai e argentina.

O fato de nao aprendermos a historia do Japao, eh que a nossa realidades está inserida no contexto do Ocidente. Falamos uma lingua néo-latina e fomos colonizados por uma potencia europeia.
E isso é evdiente em nossa forma de agir e pensar e , e também no nosso fenotipo- é muito mais facil encontrar um brasileiro euro descendcente do que um nikkei.

Johnatan disse...

A guerra Japão-China ainda é meio que "rescente".
os governantes da china são filhos e netos do povo que sofreu a humilhação.
enquanto faz quase uns 1000 anos desde que a china atacou o japão.
um dia talvez a china se esqueça...

timtimtop disse...

Formalmente o japão NUNCA se desculpou, nem pra china e nem pra coreia, não vale recorte adulterado de jornal.

Nunca se vai ter uma versão "real" da nossa historia, quase sempre é uma versão aceita, de país para país. Até porque muitos pessoas simplesmente omitem os fatos, distorcendo as versões, ex.: cada ano sai uma nova versão da história.

Se não me engano, alguns anos atras ouve uma série de discussões entre os 3 países, china, coreia, japão, querendo as versões mais esclarecidas de cada lado. Mas como sempre acabava em brigas e discussões, por fim a conclusão foi nada. É até um certo padrão entre esses 3 países. =D

Engraçado a coreia ter tão pouco conteúdo, já que grande parte da troca cultural passava por lá. Pescadores costumavam pular frequentemente entre os dois países. Além dos vários "serviços" clandestinos que estes dois praticavam e até hoje praticam

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics