terça-feira, 13 de março de 2012

Você quer fazer aula de "conversação"!?

  Ao caro leitor

  Às vezes eu me encontro com uma pessoa que diz algo parecido com a seguinte frase.

  “Eu quero fazer aula de conversação”

  Tudo bem. Eu acho idéia ótima.

  Só que muitas vezes esta frase é proferida por iniciante ou até pessoa que nem começou a aprender um idioma.

  Aí eu fico meio assim “!?”


  Vamos supor que você aprendeu uma frase, com qual pode perguntar sobre o que você é, como mostra a frase a seguir..

  A : “Você é brasileiro?”
  あなたはブラジル人ですか。      
  B : “Sim, eu sou brasileiro.” ou “Não, eu não sou brasileiro”
  はい、私はブラジル人です。いいえ、私はブラジル人じゃありません。

  Dá para trocar “brasileiro” por outros milhares de palavras. Assim, você poderá formar várias “frases”, até que terminar seu vocabulário.

  A conversação é baseada nas trocas de informações.

  Depois que você perguntou para fulano sobre sua nacionalidade e recebeu a resposta, você nunca mais precisará repetir a mesma pergunta para tal pessoa. Porque você já sabe a resposta.

  No entanto,o professor manda o aluno responder à mesma pergunta várias vezes durante aula até que ele responder certo como se aluno fosse o cachorro do Pavlov


  Quem vai perguntar alguma coisa mesmo sabendo a resposta na vida real???

  Ou seja, isso não é uma conversação, mas um treino.

  Infelizmente este tipo de treino não tem nenhuma graça tanto para aluno quanto para professor. A graça da conversação é adquirir informações novas e úteis manipulando vários padrões de frases que o aluno aprendeu.

  Isso é uma tarefa difícil de ser cumprida pelo iniciante de um idioma estrangeiro, pois iniciante ainda não tem conhecimento suficiente sobre o idioma.

  A conversação compõe-se de várias falas. Ou seja, o falante deve saber formar vários tipos de frases.

  Formar frases é reproduzir alguma coisa nova através dos usos dos seus conhecimentos sobre a língua tais como gramática, vocabulário e sintaxe,etc.

  Digamos que seja um ato de fazer “Output”.

  Para fazer "Output" correto, o falante de um idioma tem que ter “Input” suficiente e correto antecipadamente.

  Neste caso, o ato que representa “Input” seria aprender gramáticas, vocabulários e sintaxe,etc.

  Sem “Input”, não temos como conseguir “Output”. É uma logica natural.

  Portanto, quem é iniciante ou quem nunca aprendeu um idioma, não tem como querer aula de conversação, pois ele não tem “Input”,ou melhor, quase não tem “Input”.

 Quanto mais “Input” o aluno adquirir, mais “Output” o aluno vai conseguir. Ou seja, quem se dedicou ao seu estudo vai conseguir o resultado que ele merece.

 Não existe método de ensino nem professor poderoso que faz milagre neste mundo.

 Então, para melhorar o nosso desempenho de um idioma, como devemos fazer?

  Há quatro habilidades em relação a uma língua : ouvir, falar, ler e escrever.Estes quatro habilidades vão ser classificadas em dois grupos.

  Ouvir e ler são habilidades interpretativas. Falar e escrever são habilidades criativas.


  Ler livros e mangas, assistir anime, novela sem legenda são atos de interpretar os textos ou falas produzidas pelos nativos utilizando todos os seus conhecimentos sobre língua.

  Aliás, além de função da interpretação, o aluno está verificando se aquela gramática e vocabulário que aprendeu estão sendo utilizados  na vida real.

  Quanto mais contato o aluno tiver com aquela língua, o aluno fica mais familiarizado com aquela língua e saberá qual palavra deve utilizar em contexto determinado por instinto.

  Por outro lado, falar em língua estrangeira com estrangeiros ou escrever um texto em língua estrangeira é um ato de produzir algo novo baseado no que aprendeu sobre idioma.

  Como o aluno não é nativo daquela língua, é difícil fazer frases sem nenhuns erros. Só que como eu já enfatizei algumas vezes neste blog, a língua é apénas uma ferramenta para comunicar com as pessoas. Aprender sobre idioma em si não é o objetivo principal para a grande maioria,exceto linguístico.

  O que é mais importante é fazer leitor ou ouvinte entender o que você quer dizer com aquela fala ou aquele texto. Não tem problema de cometer alguns erros gramaticais.

  Com o medo de falar errado ou de escrever errado, nós não podemos fazer nada.No final das contas, nós somos ser humanos que erram todos os dias.Sem prática, nós não temos melhorar nossos desempenhos de um idioma estrangeira em 4 habilidades.

 Vamos esquecer o fato de que existem gênios que demonstram desempenhos muito altos em idiomas sem muito esforço.

 Quem se dedica ganhará o retorno merecido sem falta. Pelo menos, eu acredito nisso.

  ;)



Comentários
14 Comentários

14 comentários:

Caio Luis disse...

Comecei a aprender japonês agora e tenho grande interesse na língua,quero estudar no Japão (: Conheci seu blog a pouco e gostei muito do conteúdo,continua postando \o/ Ahh...Me responde é difícil ser funcionário público no Japão ?

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário,Caio.
A dificuldade de ser funcionário público depende do cargo que você escolher.
;)

Marcio disse...

Eu gosto muito desse blog e ainda quero aprender japonês, me chama atenção que seja tão diferente do português.

Magno disse...

olaaa acabei de achar esse seu blog,e amei!!
gostei muito pois vou fazer intercambio no Japão para fazer o 3º colegial lá em 2014!!(bem no ano da copa aqui no Brasil):(
queria que vc fisese um post falando que matérias tem no colegial lá no Japão e como realmente funciona!!( se não for muito incomodo)

Anônimo disse...

Tambem concordo com o qu vc disse.
Mas na lingua japonesa o que tenho mais dificuldade e na quantidade de palavras pois cada palavra so serve para determinada situacao.
Assim temos que "decorar",milhoes delas para que o ouvinte tenha uma ideia do que se trata pois um pequeno erro pode causar um mal estar,e assim passar a ideia de falta de educacao...,no caso de nivel intermediario.
Na lingua portuguesa uma palavra serve para inumeras situacoes...
Percebi que os japoneses nao aprendem gramatica na escola assim como os de lingua latina,entao fica dificil arranjar livros com explicacoes e regras detalhadas da conjugacao de verbos,uso de conjuncoes entre outros...
Adoraria receber dicas de livros com relacao a este assunto...

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.
Eu recomendo livro Minna no Nihongo.

http://www.amazon.com/Minna-Nihongo-Book-Bk-Japanese/dp/4883191028

aoyama lidiane disse...

Olá sempre leio o blog. E...gosto muito das coisas que você escreve, e quero te perguntar, você é japones mesmo?? pq... vc fala muitooo bem portugues, hehe.. isso me anima bastante pra eu melhorar o meu nihongo. Eu moro no Japão a 2 anos, e estudo aqui, mas...ainda tenho que melhorar muito.
Beijos, sucesso....

yukipoa disse...

Obrigado pelo comenário,Lidiane.
Sou japonês mesmo.
Eu vim ao Brasil aos 25 anos de idade.
Aí eu começei a estudar português sozinho.
Como você foi ao Japão aos 20 anos de idade, você tem chance de chegar o mais longe ainda.
;)

Fabio Ribeiro disse...

Ola! Achei muito interessante o que você escreveu. Salvo a parte em que você compara alunos que repetem frases a cachorros.

O aluno precisa SIM repetir, mesmo entendendo a frase em qualquer que seja o idioma, existem alunos que tem dificuldade com pronuncia.
Não adianta dar varios "inputs" ao aluno se ele não consegue sequer repetir a frase corretamente. Imagino que na sua lingua como em várias linguas no mundo, uma palavra mal dita pode ter significados diferentes. Eu imagino que você teve muita dificuldade em aprender portugues,e com certeza repetiu várias vezes frases e palavras, e nem por isso você fez algo como um "cachorro".
A pronuncia também é parte importante para a comunicação.
Um abraço

Anônimo disse...

Realmente Fábio, imagine vc falar q o garoto é kyu-sai (9 anos) e falar kusai (fedido). kkkkk

Vai nos EUA e pede uma large coke e fala large cock. KKKKKKKKKKK, chega na garçonete e pede um pinto grande.

Em qqr lingua a pronuncia é importante né, outro dia mesmo um amigo meu falou q comprou um "cocktop" p/ cozinha dele, rachei o bico. Mas já imaginava q ele tava falando do cooktop.

Mas pronuncia no japones é facil, mais esses "kyu", o "ju" fala meio "dju".. No ingles tem esses tipo teeth, laughing.. Espanhol tem o lla, tipo paella, aqui fala paeja, paelha, paela, tem q enrolar a lingua p/ falar corretamente o paella.

Miyaneo disse...

Olá! Adorei o blog, primeira visita minha ^^
Eu aprendi "tecnicamente" (desculpa a falta de palavras apropriadas kkk) o japonês antes do português. Eu sou descendente e fui pro Japão bem pequena, e comecei meus primeiros anos escolares lá. Conseuquentemente, eu não era boa nem em japones nem em poruguês; a primeira coisa que eu lembro de dificuldade foi que nem meu nome quando eu entrei no youchien sabia escrever, tive que pedir ajuda dos meus amigos lá. Depois quando voltei pro Brasil na segunda série, exatamente a mesma coisa aconteceu: Não sabia escrever meu nome hahahaha e novamente lá se vai eu pedir ajuda. Mas pensando agora, eu fiz exatamente essas "etapas" e o memso conceito de aprendizagem, mas eu não sei quase nada de japones (nem lembro todos os hiraganas ToT)...
Meu português é bem porco, mais por falta de leitura, e completando tudo o que li em seus posts, achei muito bom ter isso na cabeça. O que você escreveu vale tanto para aqueles que estão estudando, ou os que vão estudar futuramente as diversas línguas.
Parabéns pelo blog, adorei muito tudo aqui >.<

押田 ~龙 disse...

Gostei disso sensei isso incentiva muito XD .
Japoneses dão muito valor ao esforço ne( compreensível ). Aqueles que tem facilidade os japoneses cobram mais e mais e mais aqueles que tem dificuldade eles cobram ficam em cima incentivando, mas quando a pessoa da seu melhor eles valorizam isso bem. E como uma psicologia infantil onde a criança faz bonito e eles elogiam para incentivar a fazer melhor e melhor notei isso na escola.
Minha sensei falava que a culpa era dela por alguns não estarem indo bem. Eram 3 colegas, mas um sentava ao meu lado e ele tentava colar sempre eu não via esforço da parte dele ainda sim ela falava que ela era uma ma professora por esses três alunos que iam mal. Derrepente um desses três acordou p a vida e começou a dar o melhor que ele tinha e estudar estudar no ultimo mês no trimestre prestes a ficar no 初級1 do curso ele gabarita as provas de kanji e começa a falar um pouco melhor japonês e passa p o 初級2 ele foi um dos alunos que ganhou mais elogios dela ela mostrava as provas dele como incentivo para os colegas dele estudarem e ele se sentiu bem mais confiante. Gosto dessa psicologia ajuda muito na estima do aluno psicologia da recompensa. Notei que um pouquinho que o estrangeiro fale japonês mesmo que errado ( o que e o meu caso) vc ouve de qualquer japonês um Sugoooi muitas vezes nem e, mas creio que pelo esforço eles falem isso e legal.

Vanessa disse...

4 habilidades? rsrsrs
Ahhh eu estou friiiiita! rsrsrs

No meu caso eu só tenho 3 habilidades: Fala, escrita e leitura. A parte do "ouvir" fica por conta do "ler" . Então no meu caso como eu aprendendo Japonês? como consigo acompanhar a aula? Simples. Tenho uma amiga que me ajuda no curso. Quando a professora ensina uma palavra, ela me mostra como devo falar. Eu leio os lábios dela e repito a palavra. E erro. Erro. Erro de novo. Já tive ocasião na aula que quis engolir a minha borracha por não acertar,a sensei e a turma toda riram, pela minha palhaçada. Mas não desisti. Tentei de novo e de novo até que eu consegui! Claro que nunca o som soará 100% perfeito como alguém que ouve plenamente. Mas se eu consigo pronunciar em português,conseguir em japonês é questão de treino. E assim estou indo, errando e aprendendo, sem nunca desistir. E se eu posso, qualquer pessoa pode! Se eu que sou surda consigo, porque os outros que ouvem não vão conseguir? :)

SecretX disse...

Yuki você me ensina Japonês por email?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics