terça-feira, 22 de novembro de 2011

" Oi " : Brasileiros querem brigar com japoneses!?


  Prezado leitor

  “Olá!”,” Tudo bem?”,”Como vai?”,”E aí?”,”Beleza?”

  Há várias maneiras de cumprimentar em português,ne?

  Entre os cumprimentos, o que eu me estranhei foi “ Oi ”.

  Vou lhe explicar porquê.


  Porque os japoneses falam “ Oi ” ao chamar alguém para brigar.

  Sim. Um “ Oi ” pode provocar brigas no Japão, completamente diferente do “ Oi  ” no Brasil.

  Quem já conheceu o Japão talvez tivesse visto alguns jovens sentados de jeito esquisito nas ruas ou na frente de loja de conveniência, como mostra a foto a seguir.

  
  Os dois homens na foto são atores fazendo papel de “Yankee ( jovens maus comportados )”. Porém, é mais ou menos isso que você vai ver na vida real.

  Aliás, este modo de sentar chama-se “ Yankee Zuwari” ( modo de sentar por Yankees ).Como você percebe, não é nada confortável e bonito. No mundo deles, quanto mais esquisito, é melhor...

  Eles sempre circulam pelos bairros mais movimentados das cidades em grupo por nada.

  Quando você se encontrar com este tipo de jovens nas ruas POR SORTE, procure não olhar para eles. Porque se algum membro da turma perceber seu olhar curioso, ele vai te dizer o seguinte.

  “Oi, Nani Mitendayo? ( Psiu, Porque você está olhando gente?)”

  Sim. Como eu já lhe expliquei na introdução deste post, é um “ Oi ” que começa tragédia....

  Mesmo que você não olhe para eles, quando eles estão com a vontade de brigar com qualquer pessoa ou querer roubar dinheiro, eles vão te chamar com “ Oi ”.

  Caso acontecer isso, a única maneira para você precisará fazer é fugir.

  Por isso, eu não consegui me acostumar com o cumprimento “ Oi ” dos brasileiros durante muito tempo.

  Para falar a verdade, a entonação de “ Oi ” brasileiro é bem diferente do “ Oi ” japonês. Por isso, “ Oi ” brasileiro não provocaria briga.

  Mesmo assim, eu tenho uma sensação esquisita nisso e não é nada agradável....

  Eu lhe recomendo seguintes cumprimentos quando você quer cumprimentar para japoneses.

  “ Yaa ” ( Oi,Olá)  para amigos. “Konnichiwa “( Boa tarde ) para pessoa desconhecida.

  Nuca diga " Oi " para japonês,ok?

  ;)

Comentários
36 Comentários

36 comentários:

ronan- paz com deus ! disse...

ola , prazer sou o paz no dihitt vim conhecer seu espaço e curti muito , tbm peso que conheça o meu e por favor me siga abç espero vc lah clica para entra no site

Anônimo disse...

Pelo que eu entendi, esse "oi" pra brigar se parece mais com um "oê"...
Correto?

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário.
"Oê" seria uma derivação de "Oi"
O que é mais correto seria "Oi".
;)

Anônimo disse...

E tem tbm os bosozoku..

O que mais enche são os boryokudan ou boryokusai, não sei, são os que paga pau para yakusa. Jovens que brigam, roubam, ameaçam e etc.. para se destacar no grupo e chamar atenção dos yakuzas que selecionam para entrar na gang.

Igual aqui no Brasil, os "manos" que andam em grupo, brigam, roubam e sonham em um dia entrar na máfia para roubar banco, sequestrar ou virar traficante.

A diferença é que os japoneses são mirrados, fracos, geralmente mais baixos e não andam com armas de fogo. No máximo taco de baseball, taco de golfe ou uma faca. Eles tem certo medo de brasileiros, pq q nem eu que sou mestiço, pai italiano e mãe japonesa, tenho 1,80 de altura e sou forte, já bati em vários.

Eles falam muito, provocam, vc ameaça ir p/ cima eles saem correndo, meio que eles testam p/ ver se vc é bundão. O que eu mais ví foi esses caras passarem em frente de baladas brasileiras com seus carros para xingar os brasileiros, tipo, eles xingam e saem correndo. No meu carro tbm sempre deixava um taco de baseball, foi lindo uma vez quando 4 caras dentro de um carro ficava passando para xingar os brasileiros, aí um brasileiro forte pegou o passageiro pela jaqueta e rancou ele do carro para não fugir. Para variar, os japoneses nesta situação, ajoelham no chão e imploram perdão. Diferente do Brasil né, aqui apanha mais não se humilha tanto implorando perdão.

Anônimo disse...

Esses daí só provocam e ameaçam, cão que ladra não morde. Brasileiro lá no Japão é que nem baiano em São Paulo, vai mexer com o cabra macho p/ ver se não morde mesmo.

Liziane disse...

Yaa! Takeuchi-san!

Viu! Estou aprendendo! Olha enquanto eu lia o seu post eu imagino que seria muito difícil para um brasileiro nao chegar cumprimentando com um Oi, por impulso ou hábito. Mas eu realmente não sabia como se diz Oi em japonês. Agora eu sei. Mas eu tenho curiosidade se esses delinquentes do Japão agem da mesma forma com as meninas. Eu acho que iria reagir de duas formas. Ou eu acabaria parando e explicaria o porque do motivo de olhar para eles (do pnto de vista de um brasileiro) ou me sentiria muito irritada e partiria para cima deles. Acho que ficariam surpresos por uma mulher brigar. Até acho que tem algumas garotas no Japão que são Yankees, mas a maioria é calminha. O problema para eles seria partir para cima de uma estrangeira achando que ela vai tremer de medo como as japonesas. Eu sou muito cortês e boazinha com as pessoas mas se me provocar eu brigo!

Luiz disse...

Vejo bastante brasileiro estudante de japonês que usa 'yo' como cumprimento, mas no Japão não vi isso ser muito usado, o próprio 'ya' é bem mais falado!

Realmente precisamos tomar cuidado com isso quando estivermos no Japão hehehe, melhor não envolver em brigas!

Abraços,
Luiz (www.aulasdejapones.com.br)

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário,Liziane!
Só para completar o post, Yaa é utilizado só por homem.
Ou seja, a mulher não deve usar "Yaa" no cumprimento.
Nem sei se qual é cumprimento mais adequada para mulher.
;)

Anônimo disse...

Esses tipinhos rebeldes tem um monte no Japão, o povo do Brasil não sabe direito mas os japoneses são bem preconceituosos, com gaijins (ocidentais) e principalmente kurombo (negros). Eles tem nojo de kurombo e a familia se descobre que o filho ou filha estiver tendo um caso com um kurombo iria preferir a morte.

Mas se for visitar lá, tipo Tóquio é tranquilo, tem bastante turistas e homens de negócios ocidentais. Ou cidades industriais que tá cheio de brasileiros como Aichi, Gunma, Saitama e etc..

Luiz disse...

Acho que depende do caso, Anônimo. Falar que os japoneses são bem preconceituosos é generalizar demais, sou 'gaijin' completamente ocidental e sem descendência e a todo momento fui tratado ou como qualquer japonês seria tratado ou muito bem recebido.

Depende muito do caso, do lugar, dos japoneses com quem está envolvendo, da imagem que que os estrangeiros criaram na cidade em questão etc.

Acho que os japoneses não são nem de longe preconceituosos, são como qualquer outro povo.

Anônimo disse...

Oi (: eu gostaria de dar uma sugestão para post.. seria interessante se vc falasse sobre a magreza das japonesas ^-^

Anônimo disse...

Olha Luiz, tenho uma sobrinha que é adotada e é negra, os pais são japoneses e moravam no Brasil. Depois de alguns anos foram morar no Japão e ela sofreu muito lá com o preconceito, ela era a única negra na escola e era motivo de chacota. Ela entrou em depressão, os pais dela tiraram da escola e planejavam retornar para o Brasil para não ter que aguentar tamanha humilhação com a filha. Só sei que no final eles mudaram de cidade e colocaram em uma escola especial para filhos de brasileiros ou aula particular, algo assim. Mas ela ainda sofre com o preconceito e o pior é que como ela foi para o Japão bem pequena, agora não lembra direito como falar português.

Tenho muita dó dela, ela sofria muito ijime (bullying) e apanhava na escola. Os brasileiros falam de preconceito aqui, mas aqui é bem tranquilo por ser formado por imigrantes de vários países, essa mistura de raças. É bem diferente do japão.

Silvana

Liziane disse...

Waaa!!!! E só agora você me avisa! que vergonha!T_T!!!

Anônimo disse...

Todo mundo odeia o Cris!

Luiz disse...

Anônimo, isso não caracteriza o povo japonês como preconceituoso. Esse tipo de bullying existe em qualquer lugar e depende de muitos fatores. Você está querendo citar um caso isolado para falar de 160 milhões de pessoas, não pode.

Em qualquer escola do mundo existe essa de criança querer caçoar do 'diferente'. Na escola que estudei no Brasil só haviam brancos e quando entrou um menino negro, havia a tendência de caçoar, mas ele sabia lhe dar com a situação e acabava dominando o grupo, pois sabia manter a cabeça erguida e revidar caçoando das características dos outros também. No fim todo mundo virou ótimos amigos, ele aprendeu isso com a educação que teve em casa.

Bullying é um assunto complicado de discutir, e é bem diferente de preconceito.

Segue um vídeo bem legal do Khatzumoto falando sobre racismo no Japão: http://www.youtube.com/watch?v=rt6D5HgI2TQ

Para finalizar, evite generalizar, evite usar casos isolados para caracterizar um país inteiro :)

Kenji disse...

Acho q depende da região, aqui no Brasil mesmo eu já sofri mó preconceito por ser japonês. Em São Paulo é tranquilo, tem muito japonês, eu sou "normal". Em Londrina então, parece que metade da população é de descendentes de japoneses. Mas fui lá para Blumenau e eu fui mto zuado lá, nunca fui tão zuado em 4 dias que fiquei lá no feriado q tava tendo oktoberfest. Eu ia andando e sempre alguém caçoava de "japonês pinto pequeno", Na fila do banheiro então, "o japonês vai demorar p/ achar" ou "cadê a pinça". Todo mundo dando risada por eu ser japonês. Até andando na rua de dia um senhor ficou tirando sarro, até a esposa dele q estava do lado deu um cutucão p/ parar pq viu q eu não tinha gostado da brincadeira sem graça.

Já fui em uma cidadezinha do interior de Minas, beeeem interior mesmo, eu senti como se fosse um ET. A maioria da população dessa cidadezinha nunca tinha visto um japonês, só na televisão. Lembro até hji a criançada arregalando os olhos e os pais ficando sem graça.

Mesmo aqui em São Paulo, umas semanas atrás mesmo eu fui em um Stand-up Comedy, e um humorista começou a fazer piadas de japonês pinto pequeno e p/ piorar ainda apontou p/ mim e a platéia toda virou o pescoço p/ me ver e dar risada. Eu tava lá no fundo, morri de vergonha, fiquei constragido. Isso é racismo, é crime, tem gente q acha q racismo é só p/ negros.

Uma coisa eu tenho dúvida, será q no norte ou nordeste do Brasil tem preconceito contra japoneses? É pq eu nunca fui p/ lá. É q geralmente regiões q não tem japonês é complicado.

E vc, autor do blog, já sofreu algum tipo de discriminação aí em Porto Alegre?

Rafael disse...

E se faz alguma barbeiragem no trânsito logo gritam: -Abre o olho japonês!!!

Julia-Sama disse...

Puxa.. hãm....preciso mudar alguns habitos linguisticos hahahaha

Rafa disse...

Certeza!
Também sou descendente de japoneses e ouço piadas direto!Até hj, 2011.
Mas não me importo muito, pq eu gosto de sacanear os outros tbm!
Mas, obviamente, tem pessoas que não gostam!
Fazer piadinha c/ negros, hoje, é uma heresia.Mas com nipônicos, tá liberado né?
"Abre o olho", "pau pequeno","vai roubar minha vaga na faculdade!","volta pra granja","volta pro Japão".
Mas, vamos continuar a fazer de conta que o Brasil não é racista minha gente!
Se a menina passou maus bocados no Japão, é seríssimo e eu lamento!Mas eu também passei maus bocados na escola pública daqui, lá nos anos 80, onde eu era a minoria de um só!Os moleques só queriam me bater.Quando não batiam, é pq queriam que eu passasse cola na prova ou desse dinheiro.Depois a situação da minha família melhorou e pude estudar numa escola onde haviam outros mais da colônia.
Mas é mole a vida de um não-branco no Brasil?Não, não é.
Aconselho a levar no bom humor!

Rafa disse...

Outros fatos engraçados:

Uma vez no ônibus, sentei do lado de um cara (mulato)que se levantou imediatamente e preferiu viajar de pé (o ônibus tava quase lotado)do que ficar sentado do meu lado.

No metrô, a porta se fechou e uma senhora (descendente,'obaasan') não conseguiu entrar.Um homem ficou tirando sarro, do lado de dentro:"Viu?Tem que abrir o olho,velha!" (quando ele viu que eu e meu pai estávamos no vagão, ele parou, envergonhado).

Minha irmã viajou a trabalho p/ interior de Santa Catarina (Chapecó, acho)e o povo parava o que tava fazendo pra ficar encarando ela na rua.

Como diria o Faustão: 'Ééé, bicho!Brincadeira!'

Breno disse...

Não sou japonês, tenho sangue de japonês, mas tão longe (bisavô) que minha feição é de ocidental total, mas minha namorada é japonesa pura, só que nasceu aqui. Não sei se vocês concordam, mas creio que quando o povo fica olhando é admirando, pelo menos crianças, é por admirar, noto isso por causa da minha namorada, uma vez uma criança (2 anos nessa base) ficou olhando ela assustado, ela riu pra ele e tudo foi alegria, ele ficou pegando na mão dela e rindo. Creio que o espanto dele no começo foi por causa que ela era fora do habitual dele.Mas infelizmente racismo tem em todo canto e não nego, que algumas vezes alguns amigos dão gafes na frente dela... E até eu ja soltei algumas sem querer.

O que eu acho bonito do povo japonês é que se são seus amigos, você sabe que vai morrer como amigo daquelas pessoas, são bem leais e amigaveis, pelo menos os que conheço.

E lembro uma vez que fiquei conversando com a dona de uma floricultura que era japonesa e ela disse: "Você tem sorte, porque namorar uma mulher japonesa não é pra quaquer um".

Concordo com ela, mulher japonesa é algo de outro mundo, companherismo é o que as define.

Acho que o que existiu no Japão pode ter sido xenofobia, ainda pode existir (já que nunca fui la), mas isso existe em qualquer lugar.

Rafa disse...

Claro que o que eu escrevi não é algo que aconteça 24h, 7 dias por semana.É raro, até!
É só pra dizer que um brasileiro (nós!)não tem direito de apontar o dedo p/ os outros, na questão de racismo.Embora em alguns lugares lá fora o racismo seja pior,e chegue a vias de fato, como agressão física e segregação.
Nasci aqui, amo esse lugar e vivo muito bem!Mas de vez em quando a gente topa c/ umas laranjas podres.

Anônimo disse...

Eu sou judeu, filho de alemães...gay!
Só namoro Japones...são maravilhosos!!! Esta história de pau pequeno é bobagem...
Não é o tamanho que importa, e sim o remelexo huahuahuaua.
A raça é muito linda....

Marcos disse...

É Rafa, estudei sempre em escola particular, aí no primeiro grau eu ia repetir de ano e meus pais me colocaram em escola pública. Era escola barra pesada, outra realidade com que estava acostumado, no primeiro dia sem eu fazer nada eu levei uma voadora no intervalo e desci rolando as escadas. Depois colou uns 20 caras me zoando, passei o inferno lá, vivia o intervalo dentro da sala. Várias vezes saia da sala uns 15 minutos antes de terminar, pulava o muro e corria para casa para não apanhar na saída. Fiquei só até acabar o ano, conversei com meus pais e voltei para a escola particular, já que tinha passado de ano só com A e alguns B prometi que ia estudar muito mais. Na escola particular era tranquilo, ninguém mexia comigo, era outro nível outra educação que os filhos tiveram, realidade diferente. Não tinha briga, nem drogas, nem traficante armado, nada.

Mas na mesma época, eu tinha uns 16, 17 anos. Eu tava na rua de tarde com 2 amigos, acho que era num sábado ou domingo, tranquilo. Fui abordado com uns 10 skinheads, e eu que estava de costas não ví eles vindo, os dois que estava comigo sairam correndo. Só ouvi um "pega o japones" e tomei um soco na cara e uma voadora do outro, dei com costas em um carro que estava estacionado e fiquei preso entre o carro e os 10 skins. Fiquei levando socos e chutes até me lavar de sangue, nunca tinha visto tanto sangue saindo de mim. Eles foram embora me zuando ainda, depois fui no posto na esquina para me limpar, tinha sangue da cabeça aos pés, até no tênis. Parecia que eu tinha sido atropelado, até um casal que estava com um carro abastecendo ficou com dó e me deu um pacote de lenço de papel. Desde então vivia correndo de skinheads, hoje em dia não vejo tantos, ainda bem.

O engraçado que depois de uns anos, eu tava num bar com os amigos e tinha um grupo de skinheads lá, no balcão um deles começou a puxar papo e tal. Como já tinha feito amizade ali, contei que tinha apanhado de outros skins e tal. O cara falou que eles não tem preconceito contra japoneses pq o Japão foi aliado nazista e etc e que não gostam de negros, homossexuais, judeus e nordestinos.

Essas coisas eu não esqueço até hoje. Quem apanha nunca esquece.

mimi disse...

Preconceito contra negros e qualquer minoria é comum e uma praga que não se extingue, sou negra, gorda e pobre, então já viu né? Emprego é a parte mais complicada, mas eu também fiquei curiosa, vc sofreu preconceito por aqui Yuki?

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário,Mimi!
Eu não sofri de preconceito por aqui, graças a Deus.
;)

Jonas disse...

Eu não tenho paciência quando o assunto não tem nada a ver com os comentários, e para pior, citam a preconceito generalizando um povo todo, seja o Brasil ou Japão.

Esse problema acontece em qualquer lugar do mundo, pois o fato gerador é a falta do desconhecido e ponto.

Luiz disse...

Jonas disse tudo!

Nem brasileiro, nem japonês nem ninguém são preconceituosos!

Apenas existem pessoas preconceituosas em todos os países do mundo.

Simples!

E pensem: Qualquer pessoa que disser que um país é preconceituoso está cometendo exatamente o mesmo erro do preconceituoso: generalizando!

Então se alguém disser que japonês ou brasileiro é preconceituoso, esta pessoa está sendo preconceituosa :)

Take it easy!

Pedro disse...

Yaa yukipoa. Estou querendo aprender japonês porém está sendo muito difícil sozinho, você poderia me ajudar? aguardo respostas!

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário,Pedro.
Quando não consegue aprender alguma coisa sozinho,é melhor ir a escola ou procurar um professor.
Assim sua aprendizagem fica mais organizado.
;)

Reginatto disse...

Tá muito legal esse blog.
Kenji, te comento, em Porto Alegre é muito dificil que sofra algum tipo de preconceito sendo japonês... na verdade sofrem um preconceito, mas é para o lado bom, eu conheci um parananese que era filho de japoneses, ele disse que em Porto Alegre toda entrevista de trabalho que ele ia todo mundo ficava maravilhado com ele hehehe porque tem o conceito de que o japonês é um cara super inteligente, muito mais que qualquer um hehehe
Mas nunca imaginei ter preconceito com uma pessoa por ser japonesa. Qualquer tipo de preconceito é muito feio!

Abração

One Piece disse...

Acho bobagem esse negocio de preconceito, isso tem em qualquer lugar.
O meu sonho é fazer ibtercambio no Japão,mesmo que seja por pouco tempo,quero aprender a lingua e conhecer alguns lugares.

Thárvison disse...

Kenji,

Sou nordestino(nasci em Recife mas moro em Fortaleza há 13 anos) e posso dizer que a maioria das pessoas que conheci nessas cidades não são racistas.
Em Recife sempre teve muitos negros(devido a exploração de cana-de-açúcar nos anos 1600), então a galera lá não tinha muito preconceito.
Quando fazia alfabetização havia um garoto japonês mesmo na escola, mas nunca vi ninguém incomodá-lo.

Em Fortaleza ja conheci 2 garotas descendentes de chineses, e elas nunca sofreram bullying. No meu prédio tem um floricultor que é muito respeitado pelos vizinhos. Conheci um cara filho de japonês chamado Kenji(seu xará)e ele nunca reclamou de racismo. Tenho um amigo nissei ,que morava aqui mas voltou pra Sampa, que sempre foi respeitado pela turma do colegio.

Enfim, não tem muitos asiáticos ou descendentes deles no Nordeste, mas sei que a maioria dos nordestinos são muito hospitaleiros, principalmente os cearenses.

O nordestino só tem preconceito com gente racista, com alguns "sudestinos" ou sulistas preconceituosos que não sabem nada de história ou geografia.Eu mesmo sou altamente preconceituoso com gente racista. :D

Junis disse...

Curti o blog. Estava vendo alguns comentários ai e vi que um "anônimo" tisse que os nihonjin são muito preconceituosos e ainda mais com negros. Eu uns meses atrás estava pesquisando sobre isso pois queria escrever uma história com uma personagem gaijin e li bastante coisa sobre o assunto. A impressão de todos é a mesma. Não é que eles não curtam estrangeiros. Eles ficam é com o pé atrás. E isso já é uma coisa muito enraizada no país. A final, no começo do século passado os japas estavam ainda abrindo as portas pra o estrangeiro a partir da era Meijin (que na minha opinião foi uma "pagapauzisse" por demais exagerada do imperador. Proibir vestes e outros da própria cultura por considerá-las coisa ultrapassada e de bárbaro) e com a invasão dos "staters" após o fim da guerra e das duas bombas para "garantir a paz" (onde já vi esse filme?) ficando lá por 5 anos não é de se admirar. Entendo os motivos deles. Pra muitos brasileiros que foram pra lá disseram que eles ficam com o pé atrás mas se você respeita a cultura e não age muito diferente tentando impor sua própria cultura a deles, eles baixam a guarda. Um brasileiro negro inclusive diz ter sido infinitamente mais bem tratado lá do que no Brasil (onde já fora parado por viatura a noite só por estar caminhando, afff, PQP!)E aos brasileiros em especial há uma discriminação maior já que, infelizmente, o maior índice de crimes cometidos por estrangeiros lá, fica com os brasileiros...

Uma coisa que eu não entendo e não consigo achar na internet. Vocês sabem o por quê deles usarem a expressão "yankee" para os jovens baderneiros japoneses? A final yankees são os nova-yorquinos. Me passa algumas hipóteses na cabeça mas queria saber a história da origem desse termo. VOCÊS SABEM?

Tayzun Yamato disse...

Mas "Oi" não e sobrinho em japonês?

Felipe garcez disse...

Aqui no RJ é difícil japonês sofrer preconceito pois tem muito japonês aqui, tem vários lojistas japoneses também, na minha escola tinha vários japoneses, todos sempre foram bem tratados, tanto pelos colegas quanto pelos professores, então o povo já se acostumou com os japoneses, conheço vários que chegaram a pouco tempo aqui no Brasil é não sabem falar português direito, meu pai já foi tanto em lojas que os proprietários e os trabalhadores são japoneses que ele já está quase aprendendo japonês (risos), um dia vou visitar o japão, espero que antes dos 22 anos, acabei de fazer 18 .. :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics