segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Entrevista com bolsista brasileiro que estuda no Japão!?


  Ao caro leitor

  Muitos estudantes brasileiros sonham em estudar no Japão.
 

  Há duas maneiras para você realizar seu sonho gratuitamente.

  A primeira maneira seria através da bolsa de estudo oferecida pelo governo japonês.

   Eis MEXT ( Ministério da Educação,Cultura,Esporte Ciência e Tecnologia ).

   A segunda maneira seria através da bolsa de estudo oferecida pelo governo brasileiro.

   Eis Ciência sem Fronteiras.

  Lucas, um dos ex-alunos da PUC-RS, está fazendo seu estudo na universidade Tsukuba,onde eu me formei em 1995, através desse programa de ciência sem fronteiras.

  Eu fiz entrevista para ele com a intenção de passar informações úteis para quem tem interesse em fazer estudo no Japão.

  Agradeço pela sua disposição,Lucas! E eu lhe desejo muitos sucessos!!
 

  Segue a entrevista do Lucas.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
1. Você pode se apresentar um pouco?

Tenho 21 anos e curso Ciência da Computação na UFRGS. No momento estou em um intercâmbio de 1 ano na Universidade de Tsukuba por meio do programa Ciência sem Fronteiras.

2. Quando você chegou no Japão?E até quando você vai estar no Japão?

Cheguei no dia 25 de março de 2014 e vou embora no dia 31 de março de 2015.

3. Como você conseguiu estudar na universidade do Japão?

Realizei a inscrição para a bolsa de estudos no site do programa Ciência sem Fronteiras e segui os passos descritos no edital. Como fui aprovado pela UFRGS, CAPES e pela Universidade de Tsukuba, me foi concedida a bolsa.

4. Tem um site que explica sobre a bolsa de estudo?

Tem, maiores informações podem ser encontradas no site do programa:

5. Por que você escolheu Universidade Tsukuba?

Escolhi a universidade de Tsukuba pois meu curso estava sendo oferecido e eu cumpria com todos os requerimentos necessários do processo de seleção. Ademais, é uma ótima universidade e se localiza não muito longe de Tóquio.

6. Qual curso está fazendo na universidade Tsukuba e como é aula? A aula é dada em inglês? Todos os alunos são estrangeiros?

Continuo no meu curso, mas havendo a aprovação dos professores, é possível pegar cadeiras de outros cursos. Na Universidade de Tsukuba existe o programa G30 que oferece cadeiras em Inglês para diversos cursos. Além disso, é possível pegar cadeiras em japonês caso se sinta confortável. Mesmo nas classes do programa G30 há alunos japoneses.

7. Como é a programação do curso? Quais cadeiras você faz?

No início do semestre nos é dado um livro com todas as cadeiras da universidade e do programa G30. O aluno é livre para escolher o que quer cursar. É possível também ser alocado para um laboratório para realizar pesquisas (o aluno pode ser alocado com base no formulário enviado à universidade ou pedindo ao seu professor orientador). Cursos da língua japonesa também são oferecidos. Neste semestre aproveitei a oportunidade e peguei cadeiras de outros cursos. Estou cursando “Economia Internacional” e “Gestão de Recursos Humanos”. Além disso, estou realizando meu TCC em conjunto com meu professor do Brasil e meu orientador em Tsukuba.

8. Como é seu dia aí na universidade? De que horas até que horas você tem aulas?

Neste semestre escolhi por focar no meu TCC, logo não peguei muitas cadeiras. Tenho aula em um período na quarta (12:15h ~ 13:30) e em dois na quinta (15:15 ~ 16:30 e 16:45 ~ 18:00). No resto do meu tempo livre, aproveito para realizar minha pesquisa.

9. Como é sua moradia? Mora no dormitório para estrangeiros?

Em Tsukuba há 3 áreas que possuem dormitórios: Ichinoya, Hirasuna e Kasuga. Ao chegar aqui, fui alocado no Ichinoya. Dentre os supracitados, é o mais novo, porém é um pouco mais longe dos prédios das salas de aulas e do centro da cidade. Cada área possui vários prédios com características diferentes (ex.: banheiros comunitários ou não, fogão no quarto ou não, etc…). 




No meu caso, moro no prédio 35 (apenas para estrangeiros) no qual os quartos possuem:
- Banheiro equipado com uma banheira (com água quente somente a noite), privada e pia;
- Quarto equipado com uma cama (com lençóis, travesseiro e cobertor), um armário, uma escrivaninha, um aquecedor (com horário de funcionamento definido pela universidade), internet e uma sacada.
A cozinha é dividida entre 18 apartamentos em cada andar.

10. Você mesmo faz comida no dia a dia ou come no restaurante? Você se acostumou com comida japonesa?

Ambos, mas normalmente como em casa. Não tive nenhum problema em me adaptar a comida local. São muito boas.

11. Quanto bolsista recebe do governo brasileiro? E você tem que pagar o alguém desta bolsa? O valor que recebe é suficiente para você conseguir se virar?

O bolsista recebe o dinheiro da bolsa de 3 em 3 meses. Nos primeiros 3 meses o dinheiro é depositado em uma conta no Brasil e nos subsequentes é depositado em um cartão que recebe-se após a aprovação da bolsa.

No primeiro mês, recebemos:
- Auxílio deslocamento: 2.521 dólares;
- Auxílio instalação: 149.460 ienes;
- Auxílio material didático (para comprar um notebook ou tablet): 78.870 ienes;
- Seguro saúde: 113.760 ienes;
- 3 meses de mensalidade da bolsa: 3 x 99.640 ienes.

Nos próximos 6 meses recebemos apenas as mensalidades da bolsa. E nos últimos 3 meses recebemos, além das mensalidades, o auxílio deslocamento mais uma vez. Dependendo do local onde o bolsista estudará, é possível receber um adicional (45.810 ienes por mês) caso seja uma cidade de alto custo.

O pagamento da mensalidade da universidade é feito pelo governo diretamente para ela, sendo assim, o bolsista não precisa se preocupar com isso.

O valor recebido é mais do que suficiente para se virar, inclusive podendo-se aproveitar o excedente para conhecer mais adentro o país.

12. Você gostou da cidade Tsukuba?

Sim! Tsukuba é uma cidade mais do “interior” por assim dizer, mas nem por isso deixa algo desejar. Possui tudo que qualquer cidade grande tem a oferecer. Caso tivesse a opção, escolheria ela de novo sem sobra de dúvidas. Aqui o trânsito é mais calmo, o que facilita andar de bicicleta (item muito importante por sinal) e o gasto com moradia é bem baixo, em torno de 17.345 ienes por mês (há bolsistas em Tóquio que chegam a pagar mais de 40.000 ienes). Para chegar até Tóquio, em Akihabara por exemplo, leva em torno de 50 minutos e apenas um trem (1.190 ienes). Sendo assim, não é nenhum problema se deslocar até lá.

13. Como você passa fim de semana?

Normalmente saio com os outros bolsistas e amigos para algum restaurante/bar na cidade ou nos reunimos no quarto de alguém para matar o tempo.

14. Você já visitou algumas cidades exceto Tsukuba? Caso sim, o que você achou sobre cidades visitadas?

No momento já viajei para as seguintes cidades, todas muito legais de se conhecer:

Tóquio: fiquei uma semana nela antes das aulas começarem. Há muitos parques e templos para se conhecer por lá, além de ótimos restaurantes. Possui também o bairro de Akihabara em que se encontra de tudo em relação a eletrônicos e mangás/animes;

Tateyama (Chiba): é uma praia. Apesar dela não ser muito bonita ou limpa, a Universidade possui um alojamento para estudantes bem barato lá;

Osaka: fiz a viagem para Osaka e arredores também nas férias de verão. Aproveitei para ir na Universal Studios, Shinsekai e no Castelo de Osaka;

Nara: templos, parques com veados que você pode alimentar e ótimos saquês. Quando estamos por lá, fui parado por um grupo de japoneses que disse que haveria um festival tradicional grátis para estrangeiros, oferecido pela prefeitura local. Lá degustamos saquês e comidas, além de participamos de atividades de recreação típicas e de uma cerimônia do chá.

Kobe: fui para Kobe pois serviu de inspiração para algumas cenas de um jogo que gosto. Lá conheci um antigo bairro de estrangeiros com diversas casas de arquitetura típica de outros países.
Em fevereiro irei para Sapporo para o Festival da Neve e Naha para conhecer Okinawa.

15. Você tem contato com os japoneses no dia a dia?

Durante a semana tenho o eventual contato com pessoas na rua ou estabelecimentos. No fim de semana tenho quando saio com meus amigos.

16. Quanto tempo você estudou japonês antes de vir à Japão? E você está conseguindo se comunicar em japonês com os japoneses?

Estudei em torno de 3 anos. Consigo manter uma conversa sem muitos problemas, porém peco bastante na leitura e escrita.

17. Quais coisas no Japão eram diferentes do que você imaginava?

Já tinha a ideia de vir para o Japão há bastante tempo, logo não tive grandes surpresas por aqui. Destacaria porém que adoro as lojas de conveniência 24h e a facilidade de se viajar para qualquer lugar de trem. A única coisa que realmente achei estranho é em relação ao dinheiro. Ter uma moeda que vale entorno de R$12,00 é muito esquisito no início. Além disso, não é anormal ir em restaurantes ou mesmo lojas e eles não aceitarem cartões de crédito.

18. Qual conselho você daria para quem quiser vir à Japão com a bolsa de estudo?

O país é bem fácil de se adaptar e é extremamente minucioso nos detalhes passados aos estrangeiros, sendo assim, o maior empecilho continua sendo a língua. Recomendo começar a estudar a língua japonesa o quanto antes. Aqui o inglês não é muito comum e se torna muito difícil se virar apenas com ele. E para quem não tem conhecimento nenhum, decorar os hiraganas e katakanas para ter maior facilidade no seu estudo e aprendizagem ao chegarem aqui.

19. Tem algum episódio interessante que você quer compartilhar com os leitores?

Ainda me impressiono com a gentileza dos japoneses. Não é incomum eu pedir uma informação ou um favor e eles desviarem a atenção do que estavam fazendo para me ajudar. Quando tive que pagar o dormitório pela primeira vez, não sabia se poderia pagar o boleto em um caixa eletrônico. Pedi para um japonês que estava esperando na fila do caixa e ele também não sabia. Mas não parou aí, ele caminhou comigo até a agência do banco, pediu para os atendentes os procedimentos necessários e me explicou tudo, inclusive me ajudando a preencher o boleto. O mesmo aconteceu quando cheguei no Japão e não achei meu hostel. Um japonês que viu que eu estava perdido me levou até a porta e me desejou uma ótima estadia.

--------------------------------------------------------------------------------------

Espero que as informações passadas por Lucas ajude a realizar o seu sonho.


;)

Comentários
6 Comentários

6 comentários:

Antonio disse...

Muito legal a entevista, também gostava muito da cidade quando estive lá.
Eu morei no dormitório Oikoshi, não existe mais ou mudou de nome?

yukipoa disse...

Bah! Tem outro brasileiro que estudou na universidade Tsukuba!
Acho que ainda existe OIKOSHI.
;)

Cirolol disse...

Quando eu entrar na universidade quero fazer o Ciencia sem fronteiras também! Gostaria de ir para Nagoya ou Kyoto
:D

karol Yuuki disse...

*O* Eu estou tentando o Ciência sem fronteiras pra Tsukuba. Lá parece muito legal, muito interessante esse post.

Rockwell's Knife disse...

Caraca yuki, você tem mais de 40 anos! Pela sua voz, eu jurava que você não tinha nem 30.

Carlos Duarte disse...

Muito interessante a entrevista, apagou vários temores que eu tinha em relação a ir estudar no Japão. Domo Arigatou :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics