domingo, 12 de janeiro de 2014

Brasileiros conseguem trabalhar no Japão sem se casar com japonês!?


  Ao caro leitor

  Muitos leitores já me perguntaram sobre a possibilidade de trabalho por parte dos brasileiros no Japão.

  Por falar a verdade, eu acho melhor perguntar sobre isso aos blogueiros brasileiros que residem no Japão, já que eles sabem tudo sobre como funciona.

  Hoje eu gostaria de tratar ao respeito do meu ponto de vista como um japonês.


  Antes de mais nada, eu gostaria de lhe informar que o governo japonês tem tomado a política de não aceitar trabalhadores estrangeiros, em princípio.

  Aliás, para ser mais exato, o governo japonês autoriza as entradas daqueles especialistas estrangeiros e não autoriza as entradas daqueles trabalhadores comuns ( 単純労働者 ).



  No entanto, quando a economia japonesa estava crescendo ao ritimo acelerado nos anos 80, como faltava mão de obra, o governo japonês acabou aceitando trabalhadores estrangeiros tais como filipinos, coreanos, iranianos e descendentes de japonês oriundo dos países da américa latina.

  Muitos estrangeiros visitavam o Japão com visto de turista e acabam permancendo ilegalmente para trabalhar em empresas japonesas na época, o que correspondia à demanda das empresas que precisavam de mão de obra de qualquer jeito.

  Em 1990, a lei de imigração ( 入国管理法 ) foi modificado e estabeleceu condições dos estrangeiros no país de sol nascente.Na ocasião, os descendentes de japonês ( até terceira geração ) passaram a poder arrumar quaisquer empregos no Japão.

  Desde então, muitos isseis, niseis e sanseis ( primeira,segunda e terceira geração dos imigrantes japoneses no Brasil ) vieram ao Japão para trabalhar nas fábricas de automoveis, eltêtrodoméstico ou de obento ( marmitex ), com o objetivo de ganhar fortuna em pouco tempo e retornar ao seu país, o que se chama de dekasegui ( 出稼ぎ ).



  Eu me lembro bem de que eu via inúmeros iranianos em tóquio na notícia de TV na época. Além do mais, havia muitas escolas de língua japonesa ( 日本語学校 ), de fantasia, só para disfarçar que esses trabalhadores estão no Japão para estudar em vez de trabalhar, o que prejudicou a imagem tanto da escola de japonês quanto professor de japonês na ocasião.

  Contudo, quando aconteceu o colapso da bolha financeira e imobiliária do Japão ( バブル景気の崩壊) em 1991, sumiram esses trabalhadores estrageiros, pelo menos esses iranianos,em poucos anos.Eu não tenho certeza se os brasileiros também retornaram ao Brasil.

  Logo depois a recessão começou no Japão, e ficou muito difícil arrumar emprego até para próprios japoneses. O pior é que exatamente nessa época em que eu tentava arrumar emprego ao formar na universidade.

  Apesar de que essa recessão ainda continua até hoje no Japão, como diminuiu pessoas ativas,tanto pela saída dos muitos trabalhadores veteranos e quanto pela entrada dos poucos trabalhadores novos no mercado de trabalho, a indústria no Japão necessitava de mão de obra, principalmente nas áreas, onde seus trabalhos são mais duros, já que os jovens japoneses não querem este tipo de trabalhos.Por isso mesmo, as fábricas no Japão continuavam a precisar de descendentes de japonês oriundos dos países de america latina.



  Seja bom, seja mau, em nome da globalização, o ambiente de trabalho no Japão mudou radicalmente nos últimos 20 anos.

  • As empresas japonesas passaram a não empregar trabalhadores como funcionários efetivos como antes.
  • Muitas empresas transferiram suas fábricas para países asiáticos tais como China e Tailândia para que diminua custo de produção.
  • Os trabalhadores talentosos conseguiram trocar de empregos com mais facilidade, pois surgiram muitas agências de RH.
  • O salário de trabalhador passou a ser determinado pelo seu desempenho na empresa em vez de ser determinado pelo tempo que o trabalhador permanece nessa empresa.

  Tudo isso indica que o ambiente de trabalho no Japão ficou mais rigoroso, principalmente para aquela pessoa que mostra resultado bem humilde.Além do mais, não há mais aquele trabalho simples que paga razoavelmente bem para trabalhadores.

  Ou seja, a diferença social entre classe alta e classe baixa ficou muito maior no Japão, comparando com a situação de 20 anos atrás.



  Ao analizar o ambiente de trabalho para trabalhadores estrangeiros, do meu ponto de vista, trabalhar no Japão pegando aqueles trabalhos simples não vale a pena, pois isso não vai lhes trazer uma coisa boa que eles imaginam.

  Eu vou lhe dar dois exemplos opostos.

  Uma brasileira conhecida minha foi ao Japão para trabalhar casando com um senhor japonês.Eu me encontrei com ela por acaso num shopping em Porto Alegre alguns anos depois.Ela revelou que foi casamento falsificado e foi trabalhar numa fábrica de Bento no Japão para juntar dinheiro.Contudo, ela falou que gastou quase tudo lá e reclamava de tudo sobre o Japão.

  Será que vale a pena ir ao Japão assim? Como ela trabalhou dentro da empresa junto com outros brasileiros, ela não aprendeu japonês...

  Por outro lado, há bom exemplo também.O meu amigo japonês que veio ao Brasil junto comigo através do programa de intercâmbio há 16 anos, foi morar no Rio de Janeiro, depois que terminou seu contrato de 3 anos. Ele conheceu uma carioca que saiba falar japonês e se casou com ela algum tempo depois.Eles tentavam construir uma vida no Rio de Janeiro durante alguns anos, mas não deu certo.

  Portanto, eles se imigraram ao Japão.O meu amigo trabalha como tradutor de inglês e a esposa dele, que é carioca, começou a dar aula de português para japoneses. Em poucos anos, ela começou a ser muito procurada tanto pelos alunos particulares quanto pelas empresas que mandam seus funcionários para o Brasil.E eles compraram sua própria casa!!

  Assim, vale a pena morar no Japão,ne?

  Então, como é que um brasileiro sem descendêndia de japonês consegue morar e trabalhar no Japão sem se casar com japonês?

  Como eu já lhe expliquei no início deste post, é impossível arrumar emprego simples legalmente,ainda, infelizmente.

  Você tem que ser especialista em algumas áreas.Eu não sei exatamente quais áreas são.De qualquer maneira, você precisaria de carta de aceitação por parte da empresa japonesa,onde você vai trabalhar, para receber o visto de trabalho.



  Hoje em dia, muitas empesas japonesas tais como Rakuten e UNIQLO adotam inglês como idioma a ser utilizada dentro das empresas e contratam estrangeiros como funcionários efetivos.

  Então, sua chance de trabalhar no Japão está ficando cada vez maior.

  Eu acho que tudo depende da sua dedicação e sua insistência.

  Se eu estiver no seu lugar, eu entraria em contato com os brasileiros que já se atuam no mercado de trabalho japonês e me candidataria para seleção de bolsita do govêrno japonês, pois assim fica mais fácil de procurar emprego conhecendo mais o Japão durante seu estudo ou seu mestrado lá.
  

  ;)

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=N7zulCVTzJE

Bruna disse...

Não sei se vale muito a pena se for para juntar dinheiro apenas.O custo de vida lá deve ser maior e normalmente brasileiros não tem muita noção financeira para economizar. Acho mais válido ir pra lá se for com o intuito de ter uma experiência diferente.
Digo isso porque conheço várias pessoas que foram apenas para juntar dinheiro.

Calu disse...

Como foi dito, trabalho bracal, pesado em fabrica, naoe sta compensando como era ha 20 e poucos anos.
O Japao sofre deficit de profissionais na area de saude; medicos, enfermeiros, mas tem a politica de nao aceitar profissionais da area formados em outro pais, a nao ser o caso dos indonesios que apos aprenderem japones, termos medicos e componentes dos medicamentos em Kanjis, sao aceitos como enfermeiros ja que falta gente mesmo.
Quem trabalha em fabrica, ou bentoya, mesmo que fique aqui 20 anos, nao aprende a lingua, pq nao tem tempo nem disposicao para estudar e na atual condicao economica do pais, tambem nai vai conseguir juntar dinheiro, o salario esta defasado, o custo de vida e alto e os impostos estao aumentando. Melhor avaliar bem a situacao.

Eduardo Tetsu disse...

Existem várias formas de estudar/trabalhar no Japão:
1) O que está na moda é estudar em universidades japonesas por meio do programa Ciências Sem Fronteiras do atual governo, que oferece bolsa em torno de 150000 yens mensais. O estudante brasileiro pode fazer uma graduação sanduíche por 1~2 anos ou doutorado. Basta ser universitário e passar por um processo interno brasileiro, que é relativamente fácil, muitas vezes não precisa nem ter proficiência em japonês, somente o intermediário de inglês (estranho ne?).
2) Existem as bolsas oferecidas pelo governo japonês por meio de instituições mais tradicionais, como o MEXT e o JICA. Estas bolsas abrangem mais modalidades: curso técnico, graduação completa, pós-graduação, intercambio cultural, pesquisas de curta duração ou treinamento profissional.
3) Se for somente para trabalhar, existe o chamado arubaito (アルバイト), equivalente ao nosso bico que na verdade não está nem perto de ser bico quando o alvo é fábrica. Muitos universitários procuram agências que enviam estes jovens para fábricas japonesas com o intuito de cobrir o deficit no período de dezembro~março, que coincide com as férias universitárias daqui e o aumento de demanda de lá. Em 3 meses os estudantes trabalham feito cão, pagam todas as despesas e ainda conhecem o país, a cultura e a língua.
4) Ainda para trabalhar, temos agências focadas em profissionais especializados. Tem aparecido agências japonesas instaladas no Brasil com o objetivo de recrutar pessoas que queiram trazer a cultura organizacional japonesa para o Brasil. Ou seja, elas enviam estes profissionais, muitas vezes já com domínio de inglês/japonês, ao Japão para absorver a cultura das empresas e trazer para as fábricas instaladas no Brasil. É uma estratégia de expandir os negócios aqui, principalmente do setor automotivo.
5) Creio que ir trabalhar no Japão para trazer dinheiro está fora de cogitação. Além dos motivos econômicos do Japão, ressalto os motivos do Brasil. O Brasil viveu e vive cenários de forte inflação enquanto o Japão tem um histórico de deflação há décadas (Abenomics ainda não convence). Isso significa que os salários daqui acompanharam e irá acompanhar este aumento enquanto os salários japoneses estão 'congelados' desde os anos 90. A remuneração do engenheiro daqui e de lá são equivalentes hoje. Então, o melhor mesmo é ganhar dinheiro aqui e gastar lá. As vezes nem isso, eis que o Japão está vindo pro Brasil, vide montadoras, DAISO, Sukiya, etc.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics