sexta-feira, 13 de abril de 2012

O salmão é peixe para pobres no Japão!?


  Ao caro leitor

  Você gosta de comer peixe?

  Sim!?

  Que tipo de peixe você gosta?

  É o salmão por acaso!? Sim, o salmão é muito gostoso,ne?

  No entanto, no Brasil, salmão é extremamente caro que nem picanha ( em torno de 30 reais por quilograma )

  Você sabia que o salmão é peixe para pobres no Japão!?


  Sim. Para grandes surpresas dos brasileiros, o salmão é um dos peixes mais barato no Japão.

  Que pobres brasileiros que têm que pagar caro para coisa barata no exterior!! ( É quase sempre assim para os brasileiros, como eu já tratei num post sobre Big Mac.)
  Na verdade, salmão tem muitas variedades e os preços deles variam conforme o tipo e a estação de ano. Portanto, é claro que existe salmão razoávelmente caro também no Japão.

  Contudo, o mais barato sairia por 250 iens ( cerca de 5.5 reais ) por unidade, como mostra a foto a seguir.


  Mesmo sendo barato, o salmão no Japão é bem gostoso. Por isso mesmo, os japoneses consomem bastante salmão no dia a dia.

  Além de salmão, há outro tipo de peixe barato no Japão. Pacifíc Saury (Sanma) também é um dos peixes mais barato que os japoneses adoram.


  O preço mais barato do Sanma é de 100 iens ( 2 reais ) por unidade,dependendo da época.

  Os japoneses costumam comer Sanma assado junto com rabanete ralado e shyoyu. Eu adoro esse prato!


   Muitos brasileiros acham que os japoneses comem só Sashimi ( peixe cru ) . No entanto, na verdade, os japoneses comem mais peixes baratos tais como salmão e Sanma assados no dia a dia.

  Comer peixe é muito mais saudável do que comer carne vermelha. Isso deve ser uma das razões de que os japoneses têm longevidade.

  Falando em peixes, você sabe por que os japoneses podem comprar peixes por preço barato?

  Eis zona econômica exclusiva ( ZEE ).

  O Japão é composto de 6852 ilhas espalhadas na área bem ampla. De acordo com a Convenção dasNações Unidas sobre o Direito do Mar, a área até 200 milhas da sua terra é considerada como ZEE.

  O tamanho da área territorial do Japão é de 61º lugar no mundo. Contudo, o tamanho da ZEE é de 6 ºlugar no mundo. ( A área com a cor de azul clara é ZEE na mapa embaixo. ) 

  
  Isso quer dizer que o Japão tem direito a pescar peixes "à vontade" na área bem espaçosa.

  Além disso, a costa do Japão é um lugar privilegiado, onde a corrente quente e a corrente fria cruzam. Isso quer dizer que os japoneses podem pescar peixes bem variados bem perto da sua costa, o que diminuiria o custo para pescar peixes.


  Esses dois fatores favorecem mais o consumo dos peixes por japoneses.

  Então, qual é o peixe mais caro no Japão?

  Com certeza absoluta, isso seria Atum (Maguro), que vai ser servido como Sashimi ( peixe cru )

 
  Apesar de ser japonês, eu não gosto de Sashimi. Portanto, eu não me importo se Maguro é caro ou não.

  Só que o preço do Maguro de alta qualidade é de 4000 iens por quilograma ( 88 reais ).

  É caro para caramba,ne?

  Eu jamais compraria o Maguro dessa alta qualidade!

  Contudo, o maguro mais conceituado onde você pode comer só no restaurante especializado em Sushi e Sashimi será de mais de 10000 iens por quilograma ( 222 reais ).

  
  Eu jamais comeria este Maugro na minha vida atual.Que pobre japonês eu sou!!

  ;)


Comentários
17 Comentários

17 comentários:

Anônimo disse...

O salmão mais barato que tem perto de casa é 88 ien cada. Antes comia todo dia no café da manhã, assado no forninho do fogão, mas enjoei.

Pedro de Morais disse...

Já ouvi relatos de que banana no Japão é uma fruta cara, sendo que aqui no Brasil ainda existe a expressão "a preço de banana" a se referir a algo barato.
Uma pergunta Yuki:
O uso que você faz do "ne?", é irônico ou você de fato possui este vício de linguagem? Que é bem comum a nipônico, ne?

yukipoa disse...

Obrigado pela mensagem,Pedro!
Apesar de existir a expressão "a preço de banana" na língua portuguêsa, eu não acho que o preço de banana aqui no Brasil não é tão barato.
E o preço da banana no Japão não é tão caro....
Japoneses usam "Ne" no final da frase japonesa para receber a concordância do ouvinte, o que também há na língua portuguesa com a mesma função.
Portanto, eu acabo usando por costume.
;)

Gabrielle disse...

Sinceramente, o salmão é um o peixe mais delicioso do mundo!
É uma pena ser caro por aqui. Eu ficaria bem feliz se pelo menos três vezes na semana pudesse comer salmão em casa.

Ótimo assunto, bom começo de semana!

Anônimo disse...

Não é "magro" é maguro, no Japão não tem gr, br, pr e etc..

Liziane disse...

Aqui no Brasil, um peixe barato e considerado comida de pobre é a sardinha. Mas o irônico é que a sardinha vendida em lata é até mas saudável que a sardinha fresca e do que muitos outros peixes. Eu adoro sardinha como direto (e olha que eu sou chata para comer peixe!. Um dos melhores lugares para se comer sardinha é na praia de Tramandaí. Eu passava o dia pescando sardinha com meu pai e meus irmãos. Depois limpávamos todas e fazíamos fritas. Mas eu não gosto muito dela frita, prefiro assada, ou enlatada mesmo!

silvana kurata disse...

Realmente salmao e tudo de bom, aqui no Japao da para comprar ate a 88円 cada posta, ja frutas em geral sao caras, bananas mais baratas costumam vir das Filipinas mas nao sao doces como as do Brasil.

Paula disse...

Morei no Japão há mais de 20 anos, então não sei se minhas impressões ainda são válidas.
Mas lembro-me dos preços altos das frutas e de como também achava os peixes baratos (em relação ao Brasil).
A grande diferença, no entando, é que tudo lá já era limpo e semi-pronto para usar. As frutas eram perfeitas e não se desperdiçava nem um pedaço por estar estragado ou amassado (como é o normal no Brasil).
E os peixes, limpos e prontinhos para a panela! Uma maravilha!

E Pedro Novaes, eu sempre fico a me perguntar se o uso do "né" no Japão não foi alguma herança da passagem dos portugueses por lá há 500 anos. Por que em português, o "né" é uma contração de "não é", o que faz sentido. Mas em japonês não parece ser contração de nada e é usado no mesmo sentido que nós usamos.

Yuki, parabéns pelo blog! Estou adorando acompanhá-lo!

Pedro de Morais disse...

Olá Paula,
acredito que o "Pedro Novais" seja a mim referido. Assim como essa nova grafia poderia promover a incorporação desse vocábulo, o mesmo poderia ter ocorrido com o "né" e o "arigatô"(este tendo como origem o obrigado). Não sou linguista, mas acho que ambos são termos legítimos da língua japonesa, sendo o primeiro potencialmente uma mera interjeição. O professor Cláudio Moreno escreveu um artigo muito interessante sobre japonesismo, que explica a etimologia de várias palavras tanto do português como do japonês, algumas talvez o Yuki usasse e não soubesse.

Vamos continuar contribuindo com este blog tão legal.

Anônimo disse...

Caro, realmente o preço é alto para o salmão... mas a sardinha nossa é equivalente ao outro peixe citado e é tratado com desleixo pelos brasileiros. E em termos nutricionais, é estremamente rico.

Anônimo disse...

Nunca vi um texto tão mal escrito...

Anônimo disse...

O engraçado é que tanto a carne do salmão como do atum atualmente tem concentrações muito alta de metais pesados como mercúrio e cadmio. E não importa o modo de preparo, o metal continua lá. É só dar uma pesquisada, especialmente, no livro do endocrinologista francês que veio recentemente ao BRasil.

Gika disse...

Oi Yuki!

Falando sobre comidas, tenho uma curiosidade muito grande, que é de saber onde eu posso comer ou comprar alguns tipos de comida japonesas aqui em Porto Alegre, que não são só sushi e sashimi, mas também o Mochi, por exemplo, que tem cara de ser delicioso!
Tem alguma dica para me dar? Existe algum tipo de "feira" que se faça no instituto de japonês da PUC que eu possa ir e experimentar esse tipo de coisa?
Mais uma vez, excelente post!
Obrigada,
Gika.

yukipoa disse...

Obrigado pelo comentário,Gika.
Eu compro Tofu por 6 reais e Nori (Alga) por 5.50 reais numa loja especializado em comida japonesa que fica dentro do mercado público.
Acho que não tinha Mochi lá.
Eu sei que uma loja chamado Japan House também vendo produtos do Japão, que fica no centro.
PUC oferece o curoso de culinária japonesa.Mas, não realiza feira infelizmente.
;)

押田 ~龙 disse...

Ao anonimo sobre a contaminação de metais pesados em peixes.
Nos poluímos nos comemos e um preço que pagamos por estar presos em uma esfera que não cuidamos e um ciclo. Vamos contaminar cada vez mais se não mudarmos a maneira de produzir nossas energias e não mudarmos a forma com a qual descartamos nossas químicas em sua maioria nas águas de rios que também acabam no mar.
No Japão se tem um controle bastante rigoroso em cima da venda e consumo de peixe primeiramente por que o consomem cru. Segundo o povo japonês e exigente. Se isso fosse uma realidade preocupante no japão provavelmente ja teriam perdido o posto de população com maior longevidade o que não e o caso e não tem um grande numero de pessoas com problemas de saúde por comer peixe. ja o Brasil também não escapa disso o problema vai estar na rigidez da fiscalização sobre o que consumimos, que nem sempre e das melhores ja que sabemos bem nosso Brasil adora uma vantagem em cima do consumidor e pegar atalhos nas coisas e isso funciona em quase todos os órgãos e o brasileiro não exige boa qualidade nas coisas.

Aline Gonçalves disse...

Como qualquer lugar, creio que o que pode ser produzido na região pode ser mais barato, o que explica o fato do salmão ser caro, peixe de água fria, raridade aqui na maior parte do país, peixe de água doce é mais barato, porém ainda caro devido ao baixo consumo, além disso em algumas regiões como onde moro o fresco é quase impossível.

Conheci seu blog por acaso e fui revendo vários posts antigos. Como você veio de uma cultura diferente naturalmente vai ver o seu novo ambiente a partir de conceitos e valores que você agregou em sua nação, comparar eu não gosto particularmente, gosto só de observar, afinal cultura remete a uma história longa e complexa, não tem hora para começar e nem data pré-determinada para mudar. E ainda mais se tratando de Brasil e Japão, eu confesso que adoro como eu sou, conheço os defeitos e o que precisa melhorar por aqui para a vida ficar melhor, mas que nação não pensa em melhorar.

Reparei que seus posts sempre começam com "porque aqui..." ou algo assim, engraçado como é perceptível uma saudade embutida da sua cultura natal.

Brasileiro esta em fase de aprendizado, digamos que seja uma pré-adolescente, ainda precisa chamar atenção, esta aberta ao diferente, recebe tudo (os novos coleguinhas), mas tarde é provável que repense, refaça e se arrependa de algumas atitudes. E obviamente eu farei parte desta maré.

Sempre que tiver tempo eu vou dar uma olhadinha nas suas novas experiências, afinal o que já faz parte da minha rotina, e da minha dor de cabeça semanal é seu ponto de partida para conhecer o diferente.

Sempre aprecio como as pessoas podem ser diferentes dependendo de onde vieram, ainda quero ver o que isso pode trazer de bom ou ruim.

Aqui por exemplo esta na moda lojas de famílias coreanas, ao estilo de atendimento de lá, estão fazendo sucesso, não pelo preço, mas porque somos curiosos, quando vemos que fala diferente vamos correndo para conferir.

Me intriga uma diferença enorme entre os asiáticos e brasileiros, que quando vamos a outros países para morar mesmo, abraçamos a cultura local mesmo, e achamos um máximo compartilhar a nossa também, mas o contrário não é uma verdade absoluta, vocês gostam de se isolar criam uma barreira contra qualquer mudança nas bases mais tradicionais, não é discriminação, apenas uma constatação após o convívio mesmo. Todos são assim mesmo?

Acho que já falei demais.

Bye!

Anônimo disse...

Nao se consome salmao no japao amigao ! o peixe vem da noruega e do chile ! desinformado...
eles tem outros peixes la , sushi de salmao eh coisa americanizada.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics